30 de maio de 2020

Brasil e Mundo

DECLARAÇÃO

'Se eu cair, cai todo mundo', disse Bolsonaro ao cobrar apoio de ministros

Na fala, Bolsonaro cita ainda que não cairia por uma "babaquice" do resultado do exame do novo coronavírus.

Brasil e Mundo 23/05/2020 -
Jair Bolsonaro em reunião com o primeiro escalão de ssu governo, no dia 22 de abril
 Ao citar possibilidade de impeachment durante a reunião ministerial do dia 22 de abril, o presidente Jair Bolsonaro cobrou engajamento político dos ministros para defender o governo. "Se eu cair, cai todo mundo", avisou o presidente, exigindo que o primeiro escalão se posicionasse contra o isolamento social.

Na fala, Bolsonaro cita ainda que não cairia por uma "babaquice" do resultado do exame do novo coronavírus. A defesa do presidente entregou ao STF três laudos de exames atribuídos a Bolsonaro, após o Estadão entrar com um recurso no Supremo Tribunal Federal (STF) para que os papéis fossem divulgados.

"Acordem para a política e se exponham, afinal de contas o governo é um só. E se eu cair, cai todo mundo. Se tiver que cair um dia, vamos cair lutando, uma bandeira justa. Não por uma babaquice de … de … de exame a .. . antivírus, pô. Pelo amor de Deus, pô. Tá?", disse Bolsonaro.

Em seguida, Bolsonaro conta aos auxiliares que sempre usou pseudônimos para fazer remédios em farmácia de manipulação com medo de envenenamento. Nos exames entregues à Justiça, o presidente também não se identificou com o nome verdadeiro, segundo ele, para não ter interferência no resultado.

Moro

O vídeo da reunião no Palácio do Planalto, divulgado por decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello, é considerado uma peça-chave nas investigações que apuram as acusações, feitas pelo ex-juiz Sérgio Moro, de que o presidente Jair Bolsonaro tentou interferir na Polícia Federal. Entre ameaças, ofensas e palavrões, as imagens mostram o chefe do Executivo cobrando mudanças no governo e fazendo pressão sobre Moro e os demais auxiliares.

Na reunião, ocorrida no mês passado, Bolsonaro afirmou que já havia tentado trocar "gente da segurança nossa no Rio de Janeiro", e que não teria conseguido. "E isso acabou. Eu não vou esperar foder a minha família toda, de sacanagem, ou amigos meu, porque eu não posso trocar alguém da segurança na ponta da linha que pertence à estrutura nossa. Vai trocar! Se não puder trocar, troca o chefe dele! Não pode trocar o chefe dele? Troca o ministro! E ponto final! Não estamos aqui pra brincadeira", disse o presidente da República.

Bolsonaro alega que se referia à sua segurança pessoal, que é feita pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI), e não pela PF. De acordo com a transcrição feita pela PF, o ministro do GSI, Augusto Heleno, não fez nenhuma intervenção nesse momento. Reportagem do Jornal Nacional, veiculada na semana passada, mostrou que o presidente fez alterações - e até promoveu servidores - em sua segurança pessoal semanas antes da reunião sem dificuldade.

Moro, por sua vez, afirma que a reunião seria uma prova da tentativa de Bolsonaro de interferir no órgão. O ex-ministro também entregou aos investigadores troca de mensagens no celular

Ao levantar o sigilo do vídeo, Celso de Mello não fez juízo de valor sobre esse trecho da reunião. O ministro, por outro lado, apontou "aparente prática criminosa" na fala do ministro da Educação, Abraham Weintraub, que disse que "botava esses vagabundos todos na cadeia. Começando no STF".

De acordo com a transcrição, Moro falou pouco no encontro, não questionou as declarações do presidente e limitou-se a pedir que o plano de recuperação social e econômica Pró-Brasil também abordasse questões de segurança pública e de controle de corrupção.

Durante a reunião com o primeiro escalão do governo, Bolsonaro reclamou que não pode ser "surpreendido com notícias". "Pô, eu tenho a PF que não me dá informações", reclamou o presidente na ocasião.

No encontro, o presidente afirmou que não esperaria o "barco começar a afundar pra tirar água" e que, portanto, iria interferir em todos os ministérios. "A pessoa tem de entender. Se não quer entender, paciência, pô! E eu tenho o poder e vou interferir em todos os ministérios, sem exceção", disse Bolsonaro. "E não dá pra trabalhar assim. Fica difícil. Por isso, vou interferir! E ponto final, pô! Não é ameaça, não é uma extrapolação da minha parte. É uma verdade", completou o presidente, olhando para o lado onde estava Moro.

Próximos passos

Com a divulgação do vídeo, a investigação vai se concentrar agora em novos depoimentos que serão recolhidos na semana que vem. O empresário Paulo Marinho prestará depoimento na terça-feira, às 9 horas, no Rio de Janeiro. O empresário acusa o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) de ter recebido informações vazadas da Operação Furna da Onça. Ele já depôs à PF e ao Ministério Público Federal, mas no âmbito de outra investigação.

Bolsonaro deverá ser o último a prestar depoimento no processo e, por ser presidente da República, pode enviar as respostas por escrito. Caberá ao procurador-geral da República, Augusto Aras, decidir se vai apresentar ou não uma denúncia contra o chefe do Executivo. O STF precisa de aval da Câmara para analisar uma eventual denúncia contra o presidente.

A verdade

O ex-ministro Sérgio Moro afirmou em redes sociais que a "verdade foi dita, exposta em vídeo", após o ministro Celso de Mello, decano do Supremo Tribunal Federal, liberar a gravação ministerial do dia 22 de abril. As imagens são consideradas peças-chave no inquérito que apura suposta interferência do presidente na Polícia Federal.

"A verdade foi dita, exposta em vídeo, mensagens, depoimentos e comprovada com fatos posteriores, como a demissão do Diretor Geral da PF e a troca na superintendência do RJ. Quanto a outros temas exibidos no vídeo, cada um pode fazer a sua avaliação", escreveu Moro.

Em nota, a defesa do ex-ministro Sérgio Moro afirmou que 'recebeu com respeito e serenidade' a decisão do decano. "A decisão possibilita às autoridades e à sociedade civil constatar a veracidade das afirmações do ex-ministro em seu pronunciamento de saída do governo e em seu depoimento à Polícia Federal, em 2 de maio".

"A decisão do Ministro Celso de Mello ressalta o avanço democrático brasileiro, coibindo qualquer tipo de arroubo autoritário e reafirmando a soberania da lei e dos valores da Constituição Cidadã", disse o criminalista Rodrigo Sánchez Rios, que defende Moro.



COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

  • darsio
    23/05/2020
    Como se diz no dito popular: em porteira que passa um boi, passa uma boiada. Sinceramente a única esperança que tenho é de que em 2023 tenhamos um presidente que, ao contrário desse quadrúpede, seja sensato, inteligente, honesto, aberto ao diálogo com todas as partes, ideologias, partidos e poderes e, que seja compromissado a resolver os problemas do país. E, além disso ter a coragem de fazer uma varredura dos estragos que esse bando de asnos está causando ao país e, em colocar na cadeia cada um deles por pelos tantos crimes cometidos. Portanto, vamos torcer para que as porteiras do curral sejam abertas o mais rápido possível, para que todos esses quadrúpedes desapareçam e, para sempre. Afinal, para um país que teve no seu quadro político Franco Montoro, Florestan Fernandes, João Goulart, Juscelino Kubitschek, Antônio Ermírio de Moraes, Ulysses Guimarães e tantos outros bons nomes, não é impossível que esse sonho se transforme em realidade. Portanto, tenho a esperança de que o asno do bozo e seu bando de quadrúpedes seja apenas e uma rápida passagem.
    • Pedro
      23/05/2020
      Sabe de nada muito inocente e sem cultura
    • Marcos
      23/05/2020
      Sinto muito... mas um ser com essas qualidades reunidas não se interessará pela lama que é a política...
  • Dorival
    23/05/2020
    Jornal lixo . Outro que está falindo .de ajudar fica atrapalhando .não está vendo a cidade falida .
  • Maria
    23/05/2020 2 Curtiram
    Todos aqueles que o apoiaram conheciam essa baixaria, e se votaram é porque são baixos e vulgares igualmente. Quanto ao povo? Ar mas! Ouviu, francano? Aliás, pequenos empresários francanos, ouviram o que o Ministro da Economia disse sobre vocês? Vocês dão prejuízo ao governo, para eles só interessa ajudar os grandes que dão retorno. Durmam com essa! Não adianta fazer manifestação em seus carros, xingar o governador, o Governo Federal que deveria acudi-los nesse momento não liga para vocês, e nunca vai ligar. O plano para vocês é... ar mas! Para educação dos seus filhos? Nada! Não tem plano. Para a preservação ambiental do seu país, patriotas, a destruição! Para a segurança? Só se for para os filhos e amigos do presidente!
  • Emerson
    23/05/2020 2 Curtiram
    Uma Vergonha, vergonha, vergonha é isso que tenho a dizer desse presidente!
  • Jose osmar
    23/05/2020
    Este video elege Bolsonaro em 2022,sem sombra de duvida ,crescera e muito pela demonstacao de integridade ,honestidade ,patriotismo e sintonia com opovo ,sem hipocrisia denota a grandeza e a determinação de um verdadeiro estadista e o zelo com a coisa publica e a prontidão para o que der e vier
  • Jose osmar
    23/05/2020
    Vai chegar o dia em que a midia totalitaria desaparecera , aquela que nao aceita opinião divergente , digo isso porque varias opinioes minhas nao foram publicadas porque vc analista não concorda com minha opinião ?
Veja mais Brasil

CLIMA EM FRANCA

24°
11°

MAIS LIDAS

COLUNISTAS

ECONOMIA Atualizado 1 hora atrás

  • Dólar Comercial:
    Data:
  • Dólar Turismo:
    Data:
  • Euro:
    Data:

LOTERIAS Atualizado 1 hora atrás

  • Mega-Sena:
    Sorteio: Data:
  • Quina:
    Sorteio: Data: