19 de setembro de 2021

Franca

ARRECADAÇÃO

Para controlar epilepsia, família organiza vaquinha para medicamento de Isabella

Desde maio de 2020 a pequena Isabella passa por crises cada vez mais severas de convulsão, mas, em janeiro deste ano, o tratamento com canabidiol reduziu praticamente 100% dos episódios. O problema é que a medicação tem alto custo e a família busca formas de arrecadação.

Franca 26/03/2021
Heloísa Taveira
da Redação
Arquivo Pessoal
Isabella Fernandes Cândido, de sete anos, nasceu com epilepsia e uma má formação cerebral.
Desde os primeiros anos de vida, Isabella Fernandes Cândido, de sete anos, sofre com crises de convulsão. A criança nasceu com epilepsia e uma má formação cerebral chamada polimicrogiria, mas desde maio do ano passado esses episódios ficam cada vez mais frequentes.

Fabíola Patrocínio é mãe da Isabella e relatou que a primeira crise convulsiva aconteceu quando a pequena tinha um ano e três meses de idade. “No começo levava muito tempo de uma crise para outra. Ela chegou a ficar até dois anos sem convulsionar e tomava só um medicamento”, disse a mãe.

Após passar por um exame que avalia a atividade elétrica do cérebro há dez meses, a pequena Isabella teve a crise mais grave desde que nasceu e ficou mais de meia hora convulsionando. Depois disso, precisou ficar internada por cinco dias e começou a ter episódios de convulsão constantemente.  

Fabíola seguia com todas as medicações indicadas pelos profissionais, mas nada amenizava as crises da filha, que pioravam cada vez mais. Em janeiro deste ano uma médica indicou um medicamento à base de canabidiol. “Ela falou que seria uma medicação boa para o caso dela, mas o valor era muito alto, em torno de R$ 2,5 mil”, disse a mãe.

Porém, com uma campanha, Fabíola conseguiu arrecadar o dinheiro para o remédio e relatou que depois de uma semana de tratamento, ela quase não teve mais crises e não precisou mais de atendimento de urgência em hospital. 

Com a dose que Isabella precisa tomar, o remédio dura cerca de um mês e meio. Preocupada com a situação, Fabíola organizou uma nova forma de arrecadação para a compra do canabidiol. “Eu tenho muito medo dela ficar sem a medicação e voltar com todo o sofrimento de crises e internações. Às vezes eu chegava a achar que ela não aguentaria”, falou.

A família já tentou entrar na Justiça para conseguir o remédio, mas por conta da pandemia, o agendamento na defensoria pública está lento. Agora, o principal meio de arrecadação para custear o remédio é através de uma vaquinha on-line.

Para os que puderem ajudar, o link é o https://vaka.me/1716259.



COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

  • joni
    26/03/2021 1 Curtiu
    E pensar que este remedio poderia ser fabricado aqui mesmo, com preços bem menores mas infelizmente existem autoridades que são contra o canabidiol. BOA SORTE IZABELLA... VAI DAR TUDO CERTO !!
  • Flávio
    26/03/2021
    https://abraceesperanca.org.br/home/
  • Flávio
    26/03/2021
    Tem ong que produz aqui no Brasil.https://abraceesperanca.org.br/home/
  • FLOR
    27/03/2021
    Aqui em Franca nós temos uma associação maravilhosa FLOR DA VIDA
  • FLOR
    27/03/2021
    https://www.flordavida.ong.br/
Veja mais Local

MAIS LIDAS

COLUNISTAS

ECONOMIA Atualizado 1 hora atrás

  • Dólar Comercial:
    Data:
  • Dólar Turismo:
    Data:
  • Euro:
    Data:

LOTERIAS Atualizado 1 hora atrás

  • Mega-Sena:
    Sorteio: , , , , , Data: 30/11/-0001
  • Quina:
    Sorteio: , , , , Data: 30/11/-0001