10 de abril de 2021

Nossas Letras

Escavações

“Arqueólogos e psicanalistas necessitam de instrumentos peculiares para adentrar solo e alma. Além de sensibilidade, paciência, disciplina, tempo. Assim pensei ao ouvir Sonia Godoy analisando o romance “O Enclausurado”, de Ian Mcwean.”

Nossas Letras 27/03/2021
Sônia Machiavelli
Especial para o GCN
Março vai terminando com números medonhos relacionados à Covid -19. Para não me estressar demais diante da insanidade do presidente do nosso país, tenho buscado energia em áreas que me são caras, como literatura, culinária, música, jardinagem, cinema, lives e apresentações que me tragam alguma energia boa. Então, nesse terceiro mês do ano e 12° da pandemia, gostei de assistir a “Escavação”; ler reportagem sobre recente s descobertas de arqueólogos israelenses; acompanhar on line a profunda análise que a psicanalista Sonia Godoy fez do livro “Enclausurado”, de Ian Mcwean, romancista norte-americano.

O filme disponibilizado pela Netflix foi baseado em fatos reais. A ação se passa na histórica região inglesa de Suffolk Hoo, às vésperas da eclosão da Segunda Guerra. A aristocrata Edith Pretty (Carey Mulligan), dona de linda propriedade, contrata velho arqueólogo -Basil Brown ( Ralph Fiennes) ,para encontrar objetos de outras eras no imenso espaço ao redor da sua casa. O pai dela, também arqueólogo, já tinha lhe falado sobre o significado de intrigantes montículos. A intuição de Edith, que sofre de doença incurável e tem um filho de dez anos, aponta para um deles.

O complexo trabalho de Basil enfrenta, além das dificuldades inerentes, outras, pessoais, derivadas da inveja de colegas de uma instituição famosa, que desejariam ter sido convidados para a escavação. Com seu próprio grupo ele, um autodidata, trabalha arduamente, e depois de quase ter sido soterrado, descobre um grande barco, de um período anterior ao dos vikings. Com quase 30 metros de comprimento, era também urna funerária, com objetos parcialmente destruídos pelo tempo- escudos, joias, armas, adereços e centenas de pedaços de metal que ao serem reconectados mostrariam um capacete de extraordinários significados. Toda uma época se desvelava naqueles achados.

Mal tinha visto o filme, li na edição virtual do Le Monde que arqueólogos israelenses haviam feito descobertas extraordinárias no Deserto da Judeia. Eles falaram dos obstáculos quase intransponíveis de acesso ao lugar, não por acaso chamado “Caverna do Horror” : a 80 metros de profundidade, só era possível alcançá-lo por rapel. Depois de meses de tentativas, encontraram o esqueleto de uma criança datado de 6 mil anos; uma cesta de fibras vegetais em perfeito estado, de 10 mil anos; 80 pedacinhos de um pergaminho, com traduções gregas de versículos dos livros bíblicos dos profetas Zacarias e Naum, do século 2 AC. O texto revelou-se parte da antiga

Coleção dos Manuscritos do Mar Morto, descobertos por pastores beduínos na região da Cisjordânia, há 74 anos. Eram aspectos de uma era que se tornavam visíveis.

O que um trabalho de arqueólogos teria a ver com a análise da psicanalista Sonia Godoy? Pessoalmente, achei que muito. Como no filme dirigido por Simon Stone e na realidade retratada pela reportagem do jornal francês, ao empreender uma análise psicanalítica do livro “Enclausurado”, Sônia nos municiou de dados para muitas leituras da obra. Para mim, pareceu que a psicanálise e a arqueologia contam com elementos comuns em sua busca do passado- seja ele o de uma cultura ou o de um indivíduo. O que nem sempre significa explicar, mas certamente entender o presente. A fim de chegarem ao centro de seu interesse, os dedicados especialistas necessitam de instrumentos peculiares para adentrar solo e alma. Mas também de tempo, paciência e disciplina pra cavar, aprofundando a área de pesquisa. Foi assim que se movimentou Sonia Godoy ao analisar o livro do romancista norte-americano que se inspirou no “ Hamlet” de Shakespeare para construir uma versão moderna da tragédia grega.

Na narrativa de nosso tempo, os irmãos John e Claude formam um triângulo amoroso com Gertrudes, grávida do primeiro, seu marido, a quem deseja assassinar para ficar com o segundo , herdando a casa onde mora o casal. O Enclausurado do título é o feto que escuta tudo que se passa no exterior, torce pela salvação do pai, odeia o tio, cultiva em relação àquela que o gerou sentimentos ambivalentes de amor e raiva.

Das camadas de texto que é o livro, Sonia Godoy retirou questões profundas ligadas à vida intra-uterina não só do protagonista, o feto sem nome, mas também dos humanos, que já nas primeiras semanas após a concepção, ouvem e se emocionam , gravando sensações na área nervosa que preexiste numa minúscula mas já ativa “proto mente”. Por 90 minutos ( que bem poderiam ter sido 180), a psicanalista levou seu público virtual à reflexão de que se a vida é construção, também é escavação. Algumas vezes precisamos ser arqueólogos de nós mesmos, para tomar conhecimento do que efetivamente somos e, talvez, contando com a ajuda de um analista competente e sensível, do que nos construiu desde o instante em que fomos concebidos. E se é verdade que nossa vida começa nove meses antes de nosso nascimento, também é certo que “nós nos tornamos enquanto caminhamos”, para usar uma frase expressiva lembrada por Sonia.

Basil retirou muita terra até encontrar o barco em “Escavação”. Os arqueólogos israelenses escavaram lugar íngreme para resgatar objetos milenares. Sonia Godoy retirou pedras do solo textual e cavoucou fundo a sintaxe narrativa para nos mostrar verdades perenes no romance “O Enclausurado”. Não terá sido por acaso que no meio de sua explanação apontou um expressivo lance semântico contido na palavra Kane, sobrenome de John, vocábulo que significa “pilha de pedras, umas sobre outras”.

A tarefa de retirar entulhos, areia, cascalhos, rochas que encobrem tesouros singulares faz parte da vida de arqueólogos e psicanalistas. Pode também ser uma tarefa para todos nós que pretendemos nos tornar o que realmente somos.



COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

Veja mais Textos

MAIS LIDAS

COLUNISTAS

ECONOMIA Atualizado 1 hora atrás

  • Dólar Comercial:
    Data:
  • Dólar Turismo:
    Data:
  • Euro:
    Data:

LOTERIAS Atualizado 1 hora atrás

  • Mega-Sena:
    Sorteio: , , , , , Data: 30/11/-0001
  • Quina:
    Sorteio: , , , , Data: 30/11/-0001