RECEITAS DA SÔNIA

RECEITAS DA SÔNIA

Balinhas de pinga

Balinhas de pinga

Balas de pinga eram encontradas nas festas juninas dos anos 60 e depois saltaram para as mesas de aniversário de crianças, onde fizeram muito sucesso. Até que desapareceram, tragadas pelo império dos bufês que passaram a fazer festinhas infantis com cardápio previsível. Leia mais na receita de Sonia Machiavelli.

Balas de pinga eram encontradas nas festas juninas dos anos 60 e depois saltaram para as mesas de aniversário de crianças, onde fizeram muito sucesso. Até que desapareceram, tragadas pelo império dos bufês que passaram a fazer festinhas infantis com cardápio previsível. Leia mais na receita de Sonia Machiavelli.

Por Sônia Machiavelli | 08/01/2022 | Tempo de leitura: 3 min
especial para GCN

Por Sônia Machiavelli
especial para GCN

08/01/2022 - Tempo de leitura: 3 min

Ingredientes:

  • 1 kg de açúcar refinado
  • 1xícara (chá) de cachaça
  • 2 ½ xícaras (chá) de água
  • 2 envelopes de gelatina incolor sem sabor
  • 4 envelopes de gelatina vermelha sem sabor
  • Óleo para untar
  • Açúcar para polvilhar

Balas de pinga eram encontradas nas festas juninas dos anos 60 e depois saltaram para as mesas de aniversário de crianças, onde fizeram muito sucesso. Até que desapareceram, tragadas pelo império dos bufês que passaram a fazer festinhas infantis com cardápio previsível. Do âmbito doméstico também sumiram, talvez porque as mães já não se entusiasmassem tanto em produzi-las, quando havia outras balas boas e baratas em todo lugar. Talvez também porque as balinhas ou geleinhas de pinga dessem algum trabalho e demorassem um pouco para ficar prontas.foram relegadas ao ostracismo.

Mas sempre têm os que delas se lembram com saudades. Com o fim de atender algumas pessoas que me perguntaram a respeito, fui atrás das receitas, testei algumas em minha cozinha e gostei do resultado. Elas ficam bonitas e mantêm o sabor da cachaça, embora não embebedem ninguém, pois o álcool evapora-se todo durante a fervura. A gelatina, que lhes dá consistência, pode ser usada ao gosto do freguês: morango, limão, uva, abacaxi.

Ou tutti-frutti: faça em vários sabores, depois de prontas misture-as e guarde-as em potes de vidro transparentes. Além de lindas, duram muito tempo, desde que bem fechadas. Pessoalmente, prefiro usar todas as gelatinas sem sabor, para manter o gosto de aguardante, especialmente quando ela é de boa qualidade. Quem preferir com sabor de frutas, pode trocar os quatro pacotes da vermelha por elas. Fiz também com todas as gelatinas sem cor e ficaram lindas, branquinhas, boas para finalizar uma refeição ao lado de uma xícara de café.

Algumas receitas pedem geladeira. Outras não. Fiz os dois tipos. Achei que as segundas, sem geladeira, ficam melhores, mais macias. Um conselho: use panela funda, porque a mistura líquida ao ferver sobe bastante e pode transbordar, sujando seu fogão com uma calda pegajosa. De resto, comece hidratando as gelatinas com meia xícara de água. Deixe repousar por cinco minutos. Use o tempo para ferver uma xícara de água. Despeje a água fervente sobre a gelatina hidratada e mexa com batedor de arame até dissolver bem. Transfira para panela de boca larga e grande. Junte a xícara de água restante, o açúcar, a cachaça e mexa sem parar até começar a ferver.

Quando isso acontecer, pare, baixe o fogo ao mínimo, cozinhe por uma hora. Nessa altura,a gelatina vai exibir bolhas grades na superfície e poderá subir, por isso é importante que a panela seja larga. Se mesmo assim subir, tire a panela do fogo, deixe a calda baixar e volte à chama, sem mexer com colher. Fique atenta e faça isso até que se completem os sessenta minutos de cozimento. Deixe amornar e coloque em assadeira pequena, umedecida com óleo.

Atenção: não utilize a calda que tenha ficado nas laterais e no fundo da panela! Deixe endurecer fora da geladeira por doze horas. Desenforme a placa em superfície polvilhada com açúcar cristal. Usando tesoura de cozinha cujas lâminas também foram mergulhadas no açúcar cristal (para não grudar), corte tiras e depois cubinhos. A receita acima pode render até 60 balinhas. Passe-as em açúcar cristal e guarde em potes bem fechados. Duram muito tempo.

Ingredientes:

  • 1 kg de açúcar refinado
  • 1xícara (chá) de cachaça
  • 2 ½ xícaras (chá) de água
  • 2 envelopes de gelatina incolor sem sabor
  • 4 envelopes de gelatina vermelha sem sabor
  • Óleo para untar
  • Açúcar para polvilhar

Balas de pinga eram encontradas nas festas juninas dos anos 60 e depois saltaram para as mesas de aniversário de crianças, onde fizeram muito sucesso. Até que desapareceram, tragadas pelo império dos bufês que passaram a fazer festinhas infantis com cardápio previsível. Do âmbito doméstico também sumiram, talvez porque as mães já não se entusiasmassem tanto em produzi-las, quando havia outras balas boas e baratas em todo lugar. Talvez também porque as balinhas ou geleinhas de pinga dessem algum trabalho e demorassem um pouco para ficar prontas.foram relegadas ao ostracismo.

Mas sempre têm os que delas se lembram com saudades. Com o fim de atender algumas pessoas que me perguntaram a respeito, fui atrás das receitas, testei algumas em minha cozinha e gostei do resultado. Elas ficam bonitas e mantêm o sabor da cachaça, embora não embebedem ninguém, pois o álcool evapora-se todo durante a fervura. A gelatina, que lhes dá consistência, pode ser usada ao gosto do freguês: morango, limão, uva, abacaxi.

Ou tutti-frutti: faça em vários sabores, depois de prontas misture-as e guarde-as em potes de vidro transparentes. Além de lindas, duram muito tempo, desde que bem fechadas. Pessoalmente, prefiro usar todas as gelatinas sem sabor, para manter o gosto de aguardante, especialmente quando ela é de boa qualidade. Quem preferir com sabor de frutas, pode trocar os quatro pacotes da vermelha por elas. Fiz também com todas as gelatinas sem cor e ficaram lindas, branquinhas, boas para finalizar uma refeição ao lado de uma xícara de café.

Algumas receitas pedem geladeira. Outras não. Fiz os dois tipos. Achei que as segundas, sem geladeira, ficam melhores, mais macias. Um conselho: use panela funda, porque a mistura líquida ao ferver sobe bastante e pode transbordar, sujando seu fogão com uma calda pegajosa. De resto, comece hidratando as gelatinas com meia xícara de água. Deixe repousar por cinco minutos. Use o tempo para ferver uma xícara de água. Despeje a água fervente sobre a gelatina hidratada e mexa com batedor de arame até dissolver bem. Transfira para panela de boca larga e grande. Junte a xícara de água restante, o açúcar, a cachaça e mexa sem parar até começar a ferver.

Quando isso acontecer, pare, baixe o fogo ao mínimo, cozinhe por uma hora. Nessa altura,a gelatina vai exibir bolhas grades na superfície e poderá subir, por isso é importante que a panela seja larga. Se mesmo assim subir, tire a panela do fogo, deixe a calda baixar e volte à chama, sem mexer com colher. Fique atenta e faça isso até que se completem os sessenta minutos de cozimento. Deixe amornar e coloque em assadeira pequena, umedecida com óleo.

Atenção: não utilize a calda que tenha ficado nas laterais e no fundo da panela! Deixe endurecer fora da geladeira por doze horas. Desenforme a placa em superfície polvilhada com açúcar cristal. Usando tesoura de cozinha cujas lâminas também foram mergulhadas no açúcar cristal (para não grudar), corte tiras e depois cubinhos. A receita acima pode render até 60 balinhas. Passe-as em açúcar cristal e guarde em potes bem fechados. Duram muito tempo.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.