RECEITAS DA SONIA

RECEITAS DA SONIA

Salaminho de chocolate

Salaminho de chocolate

Doce de forte apelo infantil, o salaminho de chocolate está inscrito na lista de Prodotti Agroalimentari Tradizionali Italiani, um tipo de denominação de origem protegida, figurando como produto número 195 da região da Sicília. Leia mais no artigo de Sonia Machiavelli.

Doce de forte apelo infantil, o salaminho de chocolate está inscrito na lista de Prodotti Agroalimentari Tradizionali Italiani, um tipo de denominação de origem protegida, figurando como produto número 195 da região da Sicília. Leia mais no artigo de Sonia Machiavelli.

Por Sonia Machiavelli | 29/01/2022 | Tempo de leitura: 2 min
especial para GCN

Por Sonia Machiavelli
especial para GCN

29/01/2022 - Tempo de leitura: 2 min

Ingredientes:

  • 1 lata de leite condensado
  • 4 colheres de chocolate em pó
  • 2 gemas
  • 1 colher (sopa) de manteiga
  • 15 bolachas tipo Maria  

Doce de forte apelo infantil, o salaminho de chocolate está inscrito na lista de Prodotti Agroalimentari Tradizionali Italiani, um tipo de denominação de origem protegida, figurando como produto número 195 da região da Sicília.

É um doce caseiro, que apareceu por volta dos anos 70 e depois foi industrializado com sucesso também em Portugal e no Brasil. Com ingredientes populares, de fácil confecção, mistura chocolate em pasta ou em pó, manteiga, açúcar e ovos em proporções variáveis. Essa é a receita clássica, que nem ao fogo vai e por isso conta com a simpatia das mães que permitem às crianças experiências culinárias. Mas outras receitas surgiram porque o ovo cru que entra na original começou a preocupar os pais. Hoje, a maioria das receitas vai ao fogo.

Na Itália, onde se tornou tradição saboreá-la por ocasião das festas do Natal e da Páscoa, incorpora por vezes frutos secos, versão igualmente apreciada aqui no Brasil.

Diz-se que antes da bolacha Maria, usavam-se tanto na Itália quanto em Portugal amêndoas peladas cortadas em lâminas e mel no lugar do açúcar. No Brasil a receita já chegou com a bolacha, e desde o início fez muito sucesso nas festas infantis.

A massa é moldada em forma cilíndrica e enrolada em papel alumínio antes de ir para a geladeira, onde fica por no mínimo quatro horas para adquirir firmeza e ser cortada com facilidade em rodelas. Os mais caprichosos enrolam depois em papel manteiga e amarram com barbante, perfeita imitação do verdadeiro salame. Uma mimetização do que sugere o nome.

Como um dos ingredientes do salaminho é a bolacha Maria, talvez seja interessante lembrar que ela foi criada como “Marie Biscuit” em 1874 por padeiro inglês como homenagem ao casamento do duque de Edimburgo com a grã-duquesa Maria Alexandrovna da Rússia. Desde então a confeitaria confecciona bolos para a realeza inglesa. Fez o bolo de casamento da rainha Elizabeth II, em 1947, e de Charles e Diana em 1981.

Ao salaminho. Coloque numa panela média uma lata de leite condensado, quatro colheres de chocolate em pó, uma colher (sopa) de manteiga, duas gemas, e mantendo em fogo médio, mexa bem até obter ponto de brigadeiro. Desligue, acrescente as bolachas quebradas em pedaços pequenos. Despeje em folha de alumínio untada com manteiga e formate como se fosse salaminho. Enrole com e leve à geladeira por quatro horas no mínimo. Desenforme e corte em rodelas.   

Se pretender um salame mais rico, pode derreter chocolate culinário em banho-maria em vez de utilizar chocolate em pó; molhar a folha de papel vegetal em vinho do Porto; polvilhar o salame com açúcar ao passá-lo para a folha de alumínio; juntar frutos secos à bolacha Maria; e/ou (à maneira italiana) apresentá-lo em folha de papel vegetal atada com fio grosso.

Ingredientes:

  • 1 lata de leite condensado
  • 4 colheres de chocolate em pó
  • 2 gemas
  • 1 colher (sopa) de manteiga
  • 15 bolachas tipo Maria  

Doce de forte apelo infantil, o salaminho de chocolate está inscrito na lista de Prodotti Agroalimentari Tradizionali Italiani, um tipo de denominação de origem protegida, figurando como produto número 195 da região da Sicília.

É um doce caseiro, que apareceu por volta dos anos 70 e depois foi industrializado com sucesso também em Portugal e no Brasil. Com ingredientes populares, de fácil confecção, mistura chocolate em pasta ou em pó, manteiga, açúcar e ovos em proporções variáveis. Essa é a receita clássica, que nem ao fogo vai e por isso conta com a simpatia das mães que permitem às crianças experiências culinárias. Mas outras receitas surgiram porque o ovo cru que entra na original começou a preocupar os pais. Hoje, a maioria das receitas vai ao fogo.

Na Itália, onde se tornou tradição saboreá-la por ocasião das festas do Natal e da Páscoa, incorpora por vezes frutos secos, versão igualmente apreciada aqui no Brasil.

Diz-se que antes da bolacha Maria, usavam-se tanto na Itália quanto em Portugal amêndoas peladas cortadas em lâminas e mel no lugar do açúcar. No Brasil a receita já chegou com a bolacha, e desde o início fez muito sucesso nas festas infantis.

A massa é moldada em forma cilíndrica e enrolada em papel alumínio antes de ir para a geladeira, onde fica por no mínimo quatro horas para adquirir firmeza e ser cortada com facilidade em rodelas. Os mais caprichosos enrolam depois em papel manteiga e amarram com barbante, perfeita imitação do verdadeiro salame. Uma mimetização do que sugere o nome.

Como um dos ingredientes do salaminho é a bolacha Maria, talvez seja interessante lembrar que ela foi criada como “Marie Biscuit” em 1874 por padeiro inglês como homenagem ao casamento do duque de Edimburgo com a grã-duquesa Maria Alexandrovna da Rússia. Desde então a confeitaria confecciona bolos para a realeza inglesa. Fez o bolo de casamento da rainha Elizabeth II, em 1947, e de Charles e Diana em 1981.

Ao salaminho. Coloque numa panela média uma lata de leite condensado, quatro colheres de chocolate em pó, uma colher (sopa) de manteiga, duas gemas, e mantendo em fogo médio, mexa bem até obter ponto de brigadeiro. Desligue, acrescente as bolachas quebradas em pedaços pequenos. Despeje em folha de alumínio untada com manteiga e formate como se fosse salaminho. Enrole com e leve à geladeira por quatro horas no mínimo. Desenforme e corte em rodelas.   

Se pretender um salame mais rico, pode derreter chocolate culinário em banho-maria em vez de utilizar chocolate em pó; molhar a folha de papel vegetal em vinho do Porto; polvilhar o salame com açúcar ao passá-lo para a folha de alumínio; juntar frutos secos à bolacha Maria; e/ou (à maneira italiana) apresentá-lo em folha de papel vegetal atada com fio grosso.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.