LUTO

LUTO

Com 90 anos de idade e 80 de farmácia, morre Lourenço Rosa

Com 90 anos de idade e 80 de farmácia, morre Lourenço Rosa

Seu Lourenço Rosa, dono da Popular Farma, na Francisco Marques, morreu na noite da última sexta-feira, 4. Há dez anos, em entrevista ao Comércio da Franca, Lourenço demonstrava seu amor pelo trabalho: “Quero trabalhar até quando Deus permitir”.

Seu Lourenço Rosa, dono da Popular Farma, na Francisco Marques, morreu na noite da última sexta-feira, 4. Há dez anos, em entrevista ao Comércio da Franca, Lourenço demonstrava seu amor pelo trabalho: “Quero trabalhar até quando Deus permitir”.

Por Heloísa Taveira | 07/02/2022 | Tempo de leitura: 1 min
da Redação

Por Heloísa Taveira
da Redação

07/02/2022 - Tempo de leitura: 1 min

Arquivo/GCN

O farmacêutico Lourenço Rosa, em entrevista ao Comércio da Franca em 2012

Morreu na última sexta-feira, 4, aos 90 anos de idade, Seu Lourenço Rosa, por complicações pulmonares. Dono da Popular Farma, na rua Francisco Marques, ele trabalhou com farmácia durante 80 anos de sua vida, e o estabelecimento virou sua identidade.

Em entrevista ao Comércio da Franca em 2012, Seu Lourenço afirmou que o trabalho sempre fez parte de sua vida, e no que dependesse de sua vontade, trabalharia “até quando Deus permitir”.

“Sempre me dediquei ao trabalho, como muitos de meus companheiros. Aprendi a dar ponto, manipular remédio, tratar de furúnculo, fazer curativo, entre várias outras coisas, e fazia isso com muita seriedade e disposição. Era só me chamarem que o 'motor' (motocicleta) roncava pela cidade”, disse Seu Lourenço há dez anos.

O filho, Reumar Lourenço, contou que o pai só se afastou do trabalho durante a pandemia e por motivos de segurança. “Ele era um exemplo de homem, nos ensinou muita coisa”, disse. Além de Reumar, Seu Lourenço deixa uma filha.

Leia a entrevista:

'A sensação de mediunidade me segura na profissão há 70 anos'


Morreu na última sexta-feira, 4, aos 90 anos de idade, Seu Lourenço Rosa, por complicações pulmonares. Dono da Popular Farma, na rua Francisco Marques, ele trabalhou com farmácia durante 80 anos de sua vida, e o estabelecimento virou sua identidade.

Em entrevista ao Comércio da Franca em 2012, Seu Lourenço afirmou que o trabalho sempre fez parte de sua vida, e no que dependesse de sua vontade, trabalharia “até quando Deus permitir”.

“Sempre me dediquei ao trabalho, como muitos de meus companheiros. Aprendi a dar ponto, manipular remédio, tratar de furúnculo, fazer curativo, entre várias outras coisas, e fazia isso com muita seriedade e disposição. Era só me chamarem que o 'motor' (motocicleta) roncava pela cidade”, disse Seu Lourenço há dez anos.

O filho, Reumar Lourenço, contou que o pai só se afastou do trabalho durante a pandemia e por motivos de segurança. “Ele era um exemplo de homem, nos ensinou muita coisa”, disse. Além de Reumar, Seu Lourenço deixa uma filha.

Leia a entrevista:

'A sensação de mediunidade me segura na profissão há 70 anos'


3 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

  • APARECIDO DONIZETE NUNES
    07/02/2022 1 Curtiu
    Conhecia o Lourenco desde criança, sempre morei perto da casa dele, Grande Farmaceutico, grande Homem, infelizmente a idade chega e a hora de partir desse Mundo .
  • Antonio
    08/02/2022
    Grandre profissonal e humano, enorme sentimentos a familia.
  • Penha Granzoti
    09/02/2022
    Sr Lourenço sempre tinha um remédio certo para nossas mazelas, uma simpatia, não gostava muito das injeções kkkk desde criança era nosso dr Lourenço . Descanse em paz, cumpriu sua missão muito bem