IMUNIZANTE

IMUNIZANTE

Anvisa e Butantan se reúnem para tratar da CoronaVac para crianças

Anvisa e Butantan se reúnem para tratar da CoronaVac para crianças

No início da semana, o Butantan enviou para a Anvisa dados e informações –ainda sob análise– em resposta ao pedido de exigência feito pela agência para suprir lacunas no processo.

No início da semana, o Butantan enviou para a Anvisa dados e informações –ainda sob análise– em resposta ao pedido de exigência feito pela agência para suprir lacunas no processo.

Por | 13/05/2022 | Tempo de leitura: 1 min
da Folhapress

Por
da Folhapress

13/05/2022 - Tempo de leitura: 1 min

José Cruz/Agência Brasil

Técnicos da Anvisa se reuniram com representantes do Instituto Butantan para discutir a ampliação do uso da vacina CoronaVac em crianças.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) informou que técnicos do órgão se reuniram com representantes do Instituto Butantan, nesta sexta-feira, 13, para discutir a ampliação do uso da vacina CoronaVac em crianças. A atividade é parte do processo de solicitação de indicação da vacina para crianças de 3 a 5 anos.

No início da semana, o Butantan enviou para a Anvisa dados e informações –ainda sob análise– em resposta ao pedido de exigência feito pela agência para suprir lacunas no processo. A resposta recebida pela Anvisa, no entanto, ainda não contempla todos os itens indicados pela equipe técnica no pedido de exigência. As informações são da Agência Brasil.

De acordo com o Butantan, as informações restantes, que são os dados atualizados de estudos de efetividade feitos no Chile, ainda serão enviados para a agência. Segundo o laboratório, os dados foram solicitados aos pesquisadores daquele país e serão compartilhados com a Anvisa.

A liberação da vacina foi pedida pelo Butatan à Anvisa no dia 11 de março deste ano. O instituto solicitou uma alteração na bula da CoronaVac para que ela também fosse recomendada para crianças de 3 a 5 anos. Atualmente, além da população adulta, o imunizante está liberado para crianças e adolescentes na faixa etária de 6 a 17 anos. Não há prazo para a conclusão desta análise.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) informou que técnicos do órgão se reuniram com representantes do Instituto Butantan, nesta sexta-feira, 13, para discutir a ampliação do uso da vacina CoronaVac em crianças. A atividade é parte do processo de solicitação de indicação da vacina para crianças de 3 a 5 anos.

No início da semana, o Butantan enviou para a Anvisa dados e informações –ainda sob análise– em resposta ao pedido de exigência feito pela agência para suprir lacunas no processo. A resposta recebida pela Anvisa, no entanto, ainda não contempla todos os itens indicados pela equipe técnica no pedido de exigência. As informações são da Agência Brasil.

De acordo com o Butantan, as informações restantes, que são os dados atualizados de estudos de efetividade feitos no Chile, ainda serão enviados para a agência. Segundo o laboratório, os dados foram solicitados aos pesquisadores daquele país e serão compartilhados com a Anvisa.

A liberação da vacina foi pedida pelo Butatan à Anvisa no dia 11 de março deste ano. O instituto solicitou uma alteração na bula da CoronaVac para que ela também fosse recomendada para crianças de 3 a 5 anos. Atualmente, além da população adulta, o imunizante está liberado para crianças e adolescentes na faixa etária de 6 a 17 anos. Não há prazo para a conclusão desta análise.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.