DESPEDIDA

DESPEDIDA

Morre Helena de Lima, cantora da era ouro da noite, de 'Estão Voltando as Flores'

Morre Helena de Lima, cantora da era ouro da noite, de 'Estão Voltando as Flores'

Morreu Helena de Lima, uma das cantoras lendárias da música nacional, que fez sucesso na era de ouro da noite –entre os anos 1950 e 1960.

Morreu Helena de Lima, uma das cantoras lendárias da música nacional, que fez sucesso na era de ouro da noite –entre os anos 1950 e 1960.

Por | 16/05/2022 | Tempo de leitura: 2 min
da Folhapress

Por
da Folhapress

16/05/2022 - Tempo de leitura: 2 min

Reprodução

Helena de Lima se destacou com sua versão para a marcha-rancho 'Estão Voltando as Flores', de Paulinho Soledade.

Morreu Helena de Lima, uma das cantoras lendárias da música nacional, que fez sucesso na era de ouro da noite –entre os anos 1950 e 1960–, sobretudo com sua versão para a marcha-rancho Estão Voltando as Flores, de Paulinho Soledade. O anúncio foi feito nesta segunda-feira, 16 pelas redes sociais do Retiro dos Artistas, em Jacarepaguá, instituição onde a cantora morou nos últimos anos.

Ela tinha 95 anos, e faria 96 na próxima terça-feira, 17. Como destacou Ruy Castro, colunista deste jornal em texto de 2016, entre seus maiores sucessos estão Na Cadência do Samba, de Ataulpho Alves, Prece, de Vadico, e Mora na Filosofia, de Monsueto.

Destacam-se ainda "canções feitas para ela, pessoais e intransferíveis", como definiu Ruy, como Boa Noite, Rio, de Haroldo Barbosa e Luiz Reis, Verdade da Vida, de Raul Mascarenhas e Concessa Colaço, e Estão Voltando as Flores, de Paulo Soledade. Fizeram parte de sua geração nomes como Angela Maria, Lana Bittencourt, Doris Monteiro, Elza Soares e Ellen de Lima.

Descoberta por César Ladeira ainda nos anos 1940, gravou seu primeiro disco em 1952, e seguiu fazendo shows na noite de São Paulo e Rio de Janeiro. Já em parceria com o maestro Lauro Miranda, gravou uma série de discos, muitos ao vivo, como Uma Noite no Cangaceiro, de 1964, que faz referência à casa carioca onde também se apresentava Elizeth Cardoso, na mesma época.

Sentimentos, seu último álbum, foi gravado em 2007, de forma independente. Ainda assim, ela seguiu fazendo shows mesmo uma década depois, já com mais de 90 anos, em grandes casas do Rio de Janeiro.

Há cinco anos, no dia de seu aniversário, Helena de Lima fez um show no Leblon resumindo seus quase 70 anos de carreira em 16 canções. "De vestido longo, preto, salpicado de brilhos, e com pouca maquiagem", como registrou a repórter Etel Frota, "Helena ostenta como ornamento principal o sorriso amplo que, junto com a voz, lhe angariou uma legião de fãs apaixonados –Ary Barroso entre eles".

Morreu Helena de Lima, uma das cantoras lendárias da música nacional, que fez sucesso na era de ouro da noite –entre os anos 1950 e 1960–, sobretudo com sua versão para a marcha-rancho Estão Voltando as Flores, de Paulinho Soledade. O anúncio foi feito nesta segunda-feira, 16 pelas redes sociais do Retiro dos Artistas, em Jacarepaguá, instituição onde a cantora morou nos últimos anos.

Ela tinha 95 anos, e faria 96 na próxima terça-feira, 17. Como destacou Ruy Castro, colunista deste jornal em texto de 2016, entre seus maiores sucessos estão Na Cadência do Samba, de Ataulpho Alves, Prece, de Vadico, e Mora na Filosofia, de Monsueto.

Destacam-se ainda "canções feitas para ela, pessoais e intransferíveis", como definiu Ruy, como Boa Noite, Rio, de Haroldo Barbosa e Luiz Reis, Verdade da Vida, de Raul Mascarenhas e Concessa Colaço, e Estão Voltando as Flores, de Paulo Soledade. Fizeram parte de sua geração nomes como Angela Maria, Lana Bittencourt, Doris Monteiro, Elza Soares e Ellen de Lima.

Descoberta por César Ladeira ainda nos anos 1940, gravou seu primeiro disco em 1952, e seguiu fazendo shows na noite de São Paulo e Rio de Janeiro. Já em parceria com o maestro Lauro Miranda, gravou uma série de discos, muitos ao vivo, como Uma Noite no Cangaceiro, de 1964, que faz referência à casa carioca onde também se apresentava Elizeth Cardoso, na mesma época.

Sentimentos, seu último álbum, foi gravado em 2007, de forma independente. Ainda assim, ela seguiu fazendo shows mesmo uma década depois, já com mais de 90 anos, em grandes casas do Rio de Janeiro.

Há cinco anos, no dia de seu aniversário, Helena de Lima fez um show no Leblon resumindo seus quase 70 anos de carreira em 16 canções. "De vestido longo, preto, salpicado de brilhos, e com pouca maquiagem", como registrou a repórter Etel Frota, "Helena ostenta como ornamento principal o sorriso amplo que, junto com a voz, lhe angariou uma legião de fãs apaixonados –Ary Barroso entre eles".

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.