RECEITA

RECEITA

Sopa de grão-de-bico

Sopa de grão-de-bico

Nesse período do ano, até quem no cotidiano rejeita as sopas, acaba apelando a elas. Veja a receita de Sonia Machiavelli.

Nesse período do ano, até quem no cotidiano rejeita as sopas, acaba apelando a elas. Veja a receita de Sonia Machiavelli.

Por Sonia Machiavelli | 29/05/2022 | Tempo de leitura: 3 min
especial para o GCN

Por Sonia Machiavelli
especial para o GCN

29/05/2022 - Tempo de leitura: 3 min

Ingredientes:

  • 2 latas de grão-de-bico 
  • 2 tomates maduros
  • 1 cenoura pequena
  • 1 talo pequeno de salsão
  • ½ cebola branca
  • 1 dente de alho
  • 1 litro de água
  • ½ colher (chá) de cominho em pó
  • 1 colher (chá) de páprica defumada
  • 1 folha de louro
  • 200 gramas de linguiça fininha 
  • 2 colheres (sopa) de azeite
  • Pimenta-do-reino moída na hora a gosto

Oficialmente o inverno começa no hemisfério sul no dia 22 de junho. Falta, portanto, menos de um mês.  Entretanto, o frio dos últimos dias outonais faz supor que teremos pela frente termômetros baixando de novo nas próximas semanas. Nesse período do ano, até quem no cotidiano rejeita as sopas, acaba apelando a elas.

Há um grande conforto em tomar uma sopa substanciosa, bem marcada pelo caldo de carne, frango ou legumes. O perfume é miraculoso, nos envolve e aquece, lembra a casa da mãe, seja qual for a idade do filho. No baú de nossas memórias afetivas sabemos que foi ela que nos apresentou a primeira sopa, a papinha.

O grão-de-bico é um ingrediente clássico de muitas culinárias, já que se origina na Ásia e se expande pelos outros continentes, chegando à África setentrional antes do século XIV, e pela via muçulmana à Península Ibérica com o domínio turco. Ao Brasil, o grão aportou tardiamente, com as receitas portuguesas dos colonizadores e depois com os imigrantes espanhóis. Nas últimas décadas seu consumo cresceu entre nós, e mais ainda depois do surgimento do produto industrializado. Cozido al dente e embalado em caixas ou latas de 300 gramas, conquistou as donas de casa que evitavam seu uso na cozinha dada a dificuldade para colocar de molho na véspera e cozinhá-lo depois. À venda nos supermercados a preço acessível, tem ótima qualidade. Com ele pode-se fazer a sopa que ilustra este texto e leva linguiça fina em rodelas e também algumas especiarias, como a páprica defumada e o cominho, imprescindíveis.

Abra lata ou pacote de grão-de-bico e coloque o conteúdo numa peneira pra escorrer. Enquanto isso, corte em cubinhos a cenoura, o aipo e a cebola. Esmague o alho. Em panela média despeje um fio de azeite e nele refogue pela ordem cebola, alho, cenoura, aipo. Mexa por cinco minutos. Agregue os tomates, sem sementes e cortados em cubos também. Junte a folha de louro. Salgue. Adicione 2/3 do grão-de-bico escorrido, o cominho, a páprica, a água. Deixe sobre fogo médio por vinte minutos. 

Aproveite o tempo para aferventar as linguiças e tostar os grãos restantes numa frigideira antiaderente untada com azeite. Corte as linguiças em rodelas e reserve também.

Se o ensopado estiver macio, verifique o sal e desligue. Retire a folha de louro. Transfira a mistura para o copo do liquidificador, tendo o cuidado de colocar um pano de prato antes de tampar. É um procedimento que evita espirros. Bata por dois minutos, volte o creme à panela e reúna a ele 2/3 das rodelas de linguiça. Deixe abrir fervura. Polvilhe a pimenta do reino. Desligue.

Distribua o creme em  tigelinhas. Decore com alguns grãos tostados e rodelas reservadas de linguiça. Salpique cheiro verde se gostar. Sirva bem quente.

Ah! Os espanhóis costumam pingar umas gotinhas de limão na sopa, antes de sorvê-la. Fica a sugestão.

 

Ingredientes:

  • 2 latas de grão-de-bico 
  • 2 tomates maduros
  • 1 cenoura pequena
  • 1 talo pequeno de salsão
  • ½ cebola branca
  • 1 dente de alho
  • 1 litro de água
  • ½ colher (chá) de cominho em pó
  • 1 colher (chá) de páprica defumada
  • 1 folha de louro
  • 200 gramas de linguiça fininha 
  • 2 colheres (sopa) de azeite
  • Pimenta-do-reino moída na hora a gosto

Oficialmente o inverno começa no hemisfério sul no dia 22 de junho. Falta, portanto, menos de um mês.  Entretanto, o frio dos últimos dias outonais faz supor que teremos pela frente termômetros baixando de novo nas próximas semanas. Nesse período do ano, até quem no cotidiano rejeita as sopas, acaba apelando a elas.

Há um grande conforto em tomar uma sopa substanciosa, bem marcada pelo caldo de carne, frango ou legumes. O perfume é miraculoso, nos envolve e aquece, lembra a casa da mãe, seja qual for a idade do filho. No baú de nossas memórias afetivas sabemos que foi ela que nos apresentou a primeira sopa, a papinha.

O grão-de-bico é um ingrediente clássico de muitas culinárias, já que se origina na Ásia e se expande pelos outros continentes, chegando à África setentrional antes do século XIV, e pela via muçulmana à Península Ibérica com o domínio turco. Ao Brasil, o grão aportou tardiamente, com as receitas portuguesas dos colonizadores e depois com os imigrantes espanhóis. Nas últimas décadas seu consumo cresceu entre nós, e mais ainda depois do surgimento do produto industrializado. Cozido al dente e embalado em caixas ou latas de 300 gramas, conquistou as donas de casa que evitavam seu uso na cozinha dada a dificuldade para colocar de molho na véspera e cozinhá-lo depois. À venda nos supermercados a preço acessível, tem ótima qualidade. Com ele pode-se fazer a sopa que ilustra este texto e leva linguiça fina em rodelas e também algumas especiarias, como a páprica defumada e o cominho, imprescindíveis.

Abra lata ou pacote de grão-de-bico e coloque o conteúdo numa peneira pra escorrer. Enquanto isso, corte em cubinhos a cenoura, o aipo e a cebola. Esmague o alho. Em panela média despeje um fio de azeite e nele refogue pela ordem cebola, alho, cenoura, aipo. Mexa por cinco minutos. Agregue os tomates, sem sementes e cortados em cubos também. Junte a folha de louro. Salgue. Adicione 2/3 do grão-de-bico escorrido, o cominho, a páprica, a água. Deixe sobre fogo médio por vinte minutos. 

Aproveite o tempo para aferventar as linguiças e tostar os grãos restantes numa frigideira antiaderente untada com azeite. Corte as linguiças em rodelas e reserve também.

Se o ensopado estiver macio, verifique o sal e desligue. Retire a folha de louro. Transfira a mistura para o copo do liquidificador, tendo o cuidado de colocar um pano de prato antes de tampar. É um procedimento que evita espirros. Bata por dois minutos, volte o creme à panela e reúna a ele 2/3 das rodelas de linguiça. Deixe abrir fervura. Polvilhe a pimenta do reino. Desligue.

Distribua o creme em  tigelinhas. Decore com alguns grãos tostados e rodelas reservadas de linguiça. Salpique cheiro verde se gostar. Sirva bem quente.

Ah! Os espanhóis costumam pingar umas gotinhas de limão na sopa, antes de sorvê-la. Fica a sugestão.

 

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.