RECONHECER

RECONHECER

Franca cria órgão de proteção a vítimas de violência de gênero, orientação sexual e raça

Franca cria órgão de proteção a vítimas de violência de gênero, orientação sexual e raça

Núcleo Reconhecer oferecerá atendimentos com psicóloga, assistente social e advogados; programa será iniciado dia 1° de julho.

Núcleo Reconhecer oferecerá atendimentos com psicóloga, assistente social e advogados; programa será iniciado dia 1° de julho.

Por Ingrid Silva | 5 dias atrás | Tempo de leitura: 1 min
da Redação

Por Ingrid Silva
da Redação

5 dias atrás - Tempo de leitura: 1 min

Arquivo/GCN

Gislaine Liporoni, secretária municipal de Ação Social de Franca

O projeto Núcleo Reconhecer, com início no dia 1° de julho, em Franca, em parceria da Prefeitura com a Associação Proreavi, tem como objetivo oferecer “proteção e defesa às pessoas em razão de violência de gênero, orientação sexual e raça”.

O programa oferecerá atendimentos individuais e grupais, orientações e encaminhamentos jurídicos e para a rede de serviços municipais nas áreas da saúde, assistência social e educação.

A equipe do Núcleo será formada por psicóloga, assistente social e advogados para orientação e assistência jurídica. O programa contará com estrutura física.

"O que a gente quer é interromper esse ciclo de violência no núcleo familiar, para que no futuro, a criança possa formar uma família bem estruturada e que não seja vítima de violência”, disse o prefeito Alexandre Ferreira.

Segundo a secretária de Ação Social de Franca, Gislaine Liporoni, “a criação do programa foi motivada pelas desigualdades de gênero, orientação sexual e raça que culminam em violências estruturais, realidade do cenário nacional, e que deixam o Brasil com um dos países mais violentos nesta questão”.

O programa foi apresentado pelo prefeito Alexandre Ferreira e a presidente do Fundo Social de Solidariedade de Franca, Cynthia Milhim Ferreira, no dia 21 de abril.

O projeto Núcleo Reconhecer, com início no dia 1° de julho, em Franca, em parceria da Prefeitura com a Associação Proreavi, tem como objetivo oferecer “proteção e defesa às pessoas em razão de violência de gênero, orientação sexual e raça”.

O programa oferecerá atendimentos individuais e grupais, orientações e encaminhamentos jurídicos e para a rede de serviços municipais nas áreas da saúde, assistência social e educação.

A equipe do Núcleo será formada por psicóloga, assistente social e advogados para orientação e assistência jurídica. O programa contará com estrutura física.

"O que a gente quer é interromper esse ciclo de violência no núcleo familiar, para que no futuro, a criança possa formar uma família bem estruturada e que não seja vítima de violência”, disse o prefeito Alexandre Ferreira.

Segundo a secretária de Ação Social de Franca, Gislaine Liporoni, “a criação do programa foi motivada pelas desigualdades de gênero, orientação sexual e raça que culminam em violências estruturais, realidade do cenário nacional, e que deixam o Brasil com um dos países mais violentos nesta questão”.

O programa foi apresentado pelo prefeito Alexandre Ferreira e a presidente do Fundo Social de Solidariedade de Franca, Cynthia Milhim Ferreira, no dia 21 de abril.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.