RECEPTAÇÃO

RECEPTAÇÃO

Polícia Civil e Prefeitura fazem operação em depósitos de sucatas para combater crimes

Polícia Civil e Prefeitura fazem operação em depósitos de sucatas para combater crimes

Em um depósito no Jardim Paulistano, foram apreendidas placas de sinalização e tampas de bueiros. Local foi interditado, proprietário foi multado e responderá por receptação.

Em um depósito no Jardim Paulistano, foram apreendidas placas de sinalização e tampas de bueiros. Local foi interditado, proprietário foi multado e responderá por receptação.

Por Kaique Castro | 5 dias atrás | Tempo de leitura: 1 min
da Redação

Por Kaique Castro
da Redação

5 dias atrás - Tempo de leitura: 1 min

Divulgação

Produtos como boca de lobo e placas de sinalização foram encontrados em depósito de sucatas no Jardim Paulistano

A Polícia Civil e a Prefeitura de Franca realizaram na manhã desta quarta-feira, 22, uma operação em depósitos de sucatas em virtude do aumento no número de furtos e receptação que vem acontecendo na cidade.

Segundo o delegado Daniel Radaeli, foi feito um levantamento dos estabelecimentos, e a primeira fase da operação executada. Equipes da Delegacia Seccional de Polícia, Vigilância Sanitária, Guarda Municipal e da CPFL (Companhia Paulista de Força e Luz) participaram da ação.

“Em um estabelecimento foram encontradas bocas de lobo e placas de sinalização. O proprietário não estava no local. Um inquérito policial será aberto, e essa pessoa poderá responder por receptação dolosa”, contou o delegado.

O depósito de sucatas onde foram localizados os materiais fica na avenida Brasil, no Jardim Paulistano. Além de responder por receptação, o local foi interditado e o proprietário multado em R$ 1,8 mil.

Ainda segundo Radaeli, os locais visitados nesta quarta-feira, 22, foram cadastrados junto à Prefeitura. Agora, além de criminalmente, os que estavam irregulares poderão responder penas administrativas como cassação de alvará.

“Outras operações serão concretizadas, mas esta primeira já deu resultado. Estamos atentos a todos os fatos que acontecem na nossa comunidade. É muito importante a realização do boletim de ocorrência também para ajudar nas investigações”, concluiu Radaeli.

A Polícia Civil e a Prefeitura de Franca realizaram na manhã desta quarta-feira, 22, uma operação em depósitos de sucatas em virtude do aumento no número de furtos e receptação que vem acontecendo na cidade.

Segundo o delegado Daniel Radaeli, foi feito um levantamento dos estabelecimentos, e a primeira fase da operação executada. Equipes da Delegacia Seccional de Polícia, Vigilância Sanitária, Guarda Municipal e da CPFL (Companhia Paulista de Força e Luz) participaram da ação.

“Em um estabelecimento foram encontradas bocas de lobo e placas de sinalização. O proprietário não estava no local. Um inquérito policial será aberto, e essa pessoa poderá responder por receptação dolosa”, contou o delegado.

O depósito de sucatas onde foram localizados os materiais fica na avenida Brasil, no Jardim Paulistano. Além de responder por receptação, o local foi interditado e o proprietário multado em R$ 1,8 mil.

Ainda segundo Radaeli, os locais visitados nesta quarta-feira, 22, foram cadastrados junto à Prefeitura. Agora, além de criminalmente, os que estavam irregulares poderão responder penas administrativas como cassação de alvará.

“Outras operações serão concretizadas, mas esta primeira já deu resultado. Estamos atentos a todos os fatos que acontecem na nossa comunidade. É muito importante a realização do boletim de ocorrência também para ajudar nas investigações”, concluiu Radaeli.

1 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

  • observador francano
    5 dias atrás
    É preciso realmente fiscalizar... números de casas, placas de túmulos, quem compra esse material é conivente com o crime.