DESPEDIDA

DESPEDIDA

Morre Danuza Leão, modelo e colunista influente que marcou época no Brasil

Morre Danuza Leão, modelo e colunista influente que marcou época no Brasil

Conhecida na juventude pelas passarelas e pela produção de festas badaladas, Danuza Leão deu uma guinada posterior em direção ao colunismo de comportamento e estilo de vida.

Conhecida na juventude pelas passarelas e pela produção de festas badaladas, Danuza Leão deu uma guinada posterior em direção ao colunismo de comportamento e estilo de vida.

Por | 5 dias atrás | Tempo de leitura: 1 min
da Folhapress

Por
da Folhapress

5 dias atrás - Tempo de leitura: 1 min

Reprodução/YouTube

Danuza Leão morreu nesta quarta-feira, aos 88 anos.

Danuza Leão, que fez carreira como uma das modelos e colunistas mais destacadas de sua geração, morreu nesta quarta-feira, aos 88 anos.

Conhecida na juventude pelas passarelas e pela produção de festas badaladas, ela deu uma guinada posterior em direção ao colunismo de comportamento e estilo de vida. Escreveu para o jornal Folha de S.Paulo por mais de uma década, até que a colaboração foi encerrada em 2013.

Entre seus principais livros, se destacam reuniões de crônicas como Na Sala com Danuza, volumes de comportamento como É Tudo Tão Simples e a autobiografia best-seller Quase Tudo, publicada em 2005.

A vida pessoal de Danuza sempre foi alvo do interesse das páginas de celebridades. Além de irmã de outro ícone cultural, a cantora Nara Leão, ela foi casada com o influente jornalista Samuel Wainer, fundador do revolucionário jornal Última Hora, depois com o cronista e compositor Antônio Maria e com o jornalista televisivo Renato Machado, que fez carreira na Globo.

Danuza também fez colaborações como roteirista na mesma emissora. Ainda que sua relação com filmes e televisão tenha sido lateral, sua carreira também ficou marcada pela participação em um dos filmes mais importantes da cinematografia brasileira, Terra em Transe, de Glauber Rocha.

Deixa dois filhos, a artista plástica Pinky Wainer e o empresário cinematográfico Bruno Wainer. Seu filho Samuel Wainer Filho, jornalista como o pai, morreu num acidente automobilístico em 1984.

Danuza Leão, que fez carreira como uma das modelos e colunistas mais destacadas de sua geração, morreu nesta quarta-feira, aos 88 anos.

Conhecida na juventude pelas passarelas e pela produção de festas badaladas, ela deu uma guinada posterior em direção ao colunismo de comportamento e estilo de vida. Escreveu para o jornal Folha de S.Paulo por mais de uma década, até que a colaboração foi encerrada em 2013.

Entre seus principais livros, se destacam reuniões de crônicas como Na Sala com Danuza, volumes de comportamento como É Tudo Tão Simples e a autobiografia best-seller Quase Tudo, publicada em 2005.

A vida pessoal de Danuza sempre foi alvo do interesse das páginas de celebridades. Além de irmã de outro ícone cultural, a cantora Nara Leão, ela foi casada com o influente jornalista Samuel Wainer, fundador do revolucionário jornal Última Hora, depois com o cronista e compositor Antônio Maria e com o jornalista televisivo Renato Machado, que fez carreira na Globo.

Danuza também fez colaborações como roteirista na mesma emissora. Ainda que sua relação com filmes e televisão tenha sido lateral, sua carreira também ficou marcada pela participação em um dos filmes mais importantes da cinematografia brasileira, Terra em Transe, de Glauber Rocha.

Deixa dois filhos, a artista plástica Pinky Wainer e o empresário cinematográfico Bruno Wainer. Seu filho Samuel Wainer Filho, jornalista como o pai, morreu num acidente automobilístico em 1984.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.