NERVOS

NERVOS

Trânsito caótico e travado testa paciência dos motoristas de Franca

Trânsito caótico e travado testa paciência dos motoristas de Franca

Cidade conta com vários gargalos em horários de pico; rotatórias são apontadas como pontos de grandes congestionamentos no trânsito da cidade.

Cidade conta com vários gargalos em horários de pico; rotatórias são apontadas como pontos de grandes congestionamentos no trânsito da cidade.

Por N. Fradique | 26/06/2022 | Tempo de leitura: 4 min
da Redação

Por N. Fradique
da Redação

26/06/2022 - Tempo de leitura: 4 min

Dirceu Garcia/GCN

Motoristas enfrentam congestionamentos no trânsito em vários pontos de Franca

Dirigir em Franca já pode ser classificado como um teste de paciência. Em alguns trechos, na parte central da cidade, as ruas são estreitas e o trânsito não flui. Nas vias que cortam a cidade, os motoristas sofrem com a falta de alternativas, enfrentando congestionamentos nas principais avenidas que ligam a cidade de ponta a ponta. Nos horários de pico – no início da manhã e no retorno para casa, entre 17h15 e 19 horas – os motoristas sofrem com longos congestionamentos.

Para atravessar a cidade do Jardim Aeroporto, na zona Sul, até o City Petrópolis, zona Norte, o motorista precisa percorrer cerca de 20 km, isso fazendo o caminho mais rápido, pela rodovia Cândido Portinari. Gasta uns 20 minutos. Se o motorista tiver que passar pela região central por algum motivo, esse tempo pode até quase triplicar, principalmente no horário de rush, além do caminho ficar mais longo.

Aristeu Marques Borges, 56 anos, que trabalha com móveis planejados, diz que o trânsito nas rotatórias não flui, culpando os próprios motoristas. “O trânsito nas rotatórias não flui como precisava. Os motoristas não conseguem dirigir usando as duas faixas juntos. Eles fazem filas indianas sendo que há duas faixas. Quando a gente entra na sequência para tentar agilizar, eles (motoristas) buzinam e até tentam jogar o carro na frente do nosso. Quando preciso sair para fazer um serviço, um orçamento, o problema maior pra mim são as rotatórias que atrasam tudo, Não rende. Aquela rotatória saindo para o Distrito Industrial é um caos”, conta o empresário, que mora no Jardim Primavera.

Bruno Reis Ribeiro, 37 anos, que trabalha de motorista na empresa Souza Fran – componentes para calçados e bolsas – relata que precisa se desdobrar para cumprir o cronograma de entregas das mercadorias. “O trânsito de Franca é muito carregado em vários pontos da cidade. No horário de pico, a lentidão é muito grande e um itinerário de entrega que eu faria em 20 minutos pode demorar até 40 minutos. Por isso temos que sair mais cedo para a entrega para não prejudicar os clientes. O número de carros só vai aumentando, e por conta disso a Prefeitura precisa de um planejamento para resolver esses congestionamentos”, disse Bruno, que mora no Jardim Palma.

Ele também cita o engarrafamento que ocorre na rotatória que fica na avenida Adhemar de Barros e Avenida Brasil. “No final do dia, o trânsito fica totalmente travado na rotatória da avenida Brasil, perto do Pé de Ferro (Fábrica). A prefeitura já tentou várias alternativas, colocado semáforos no local, mas não resolve. Trava tudo. Já presenciei vários acidente no local”, contou.

O comerciante Tiago Castro, 40 anos, disse que para sair do próprio bairro onde mora já é um transtorno. “Eu moro no Jardim Zanetti e a rotatória do bairro recebe todo o fluxo daquela região, de outros bairros e chácaras, além de dar acesso à rodovia (Ronan Rocha). No período da manhã, a partir das 6h30, fica um caos. Eu levo minha filha à escola cedo e os motoristas estão até subindo no canteiro da avenida para entrar em outra via para conseguir chegar a tempo nos compromissos. O setor competente deveria resolver esse problema que estamos enfrentando ali”, disse Tiago.

Além dos gargalos nas vias de Franca, também são registrados grandes congestionamentos nas alças de acesso das rodovias que cortam a cidade, correndo perigo de provocar acidentes nos horários de pico. A Prefeitura garante que fez vários estudos e projetos estão sendo elaborados para buscar uma solução para o caos. Segundo esses estudos, os principais pontos de congestionamento foram identificados na Rotatória do Distrito Industrial, nos pontilhões do Parque Vicente Leporace e Vila São Sebastião, na Avenida Brasil, Avenida Adhemar de Barros e Avenida Hélio Palermo.

Sobre o projeto de construção de novos pontilhões na rodovia Cândido Portinari, próximo ao Leporace e Vila São Sebastião, que poderia ajudar a solucionar os engarrafamentos naqueles locais, a prefeitura apenas disse que vem investindo em melhorias e nas sinalizações de trânsito.

“A Prefeitura tem trabalhado para melhorar, cada vez mais, o trânsito da cidade de Franca, porém esse é um problema que além do investimento do poder público, é necessária a colaboração de todos. A conscientização e o respeito às regras de trânsito precisam fazer parte da rotina da população”, disse Marcos Aurélio Passeti, diretor do Departamento de Trânsito de Franca.

Dirigir em Franca já pode ser classificado como um teste de paciência. Em alguns trechos, na parte central da cidade, as ruas são estreitas e o trânsito não flui. Nas vias que cortam a cidade, os motoristas sofrem com a falta de alternativas, enfrentando congestionamentos nas principais avenidas que ligam a cidade de ponta a ponta. Nos horários de pico – no início da manhã e no retorno para casa, entre 17h15 e 19 horas – os motoristas sofrem com longos congestionamentos.

Para atravessar a cidade do Jardim Aeroporto, na zona Sul, até o City Petrópolis, zona Norte, o motorista precisa percorrer cerca de 20 km, isso fazendo o caminho mais rápido, pela rodovia Cândido Portinari. Gasta uns 20 minutos. Se o motorista tiver que passar pela região central por algum motivo, esse tempo pode até quase triplicar, principalmente no horário de rush, além do caminho ficar mais longo.

Aristeu Marques Borges, 56 anos, que trabalha com móveis planejados, diz que o trânsito nas rotatórias não flui, culpando os próprios motoristas. “O trânsito nas rotatórias não flui como precisava. Os motoristas não conseguem dirigir usando as duas faixas juntos. Eles fazem filas indianas sendo que há duas faixas. Quando a gente entra na sequência para tentar agilizar, eles (motoristas) buzinam e até tentam jogar o carro na frente do nosso. Quando preciso sair para fazer um serviço, um orçamento, o problema maior pra mim são as rotatórias que atrasam tudo, Não rende. Aquela rotatória saindo para o Distrito Industrial é um caos”, conta o empresário, que mora no Jardim Primavera.

Bruno Reis Ribeiro, 37 anos, que trabalha de motorista na empresa Souza Fran – componentes para calçados e bolsas – relata que precisa se desdobrar para cumprir o cronograma de entregas das mercadorias. “O trânsito de Franca é muito carregado em vários pontos da cidade. No horário de pico, a lentidão é muito grande e um itinerário de entrega que eu faria em 20 minutos pode demorar até 40 minutos. Por isso temos que sair mais cedo para a entrega para não prejudicar os clientes. O número de carros só vai aumentando, e por conta disso a Prefeitura precisa de um planejamento para resolver esses congestionamentos”, disse Bruno, que mora no Jardim Palma.

Ele também cita o engarrafamento que ocorre na rotatória que fica na avenida Adhemar de Barros e Avenida Brasil. “No final do dia, o trânsito fica totalmente travado na rotatória da avenida Brasil, perto do Pé de Ferro (Fábrica). A prefeitura já tentou várias alternativas, colocado semáforos no local, mas não resolve. Trava tudo. Já presenciei vários acidente no local”, contou.

O comerciante Tiago Castro, 40 anos, disse que para sair do próprio bairro onde mora já é um transtorno. “Eu moro no Jardim Zanetti e a rotatória do bairro recebe todo o fluxo daquela região, de outros bairros e chácaras, além de dar acesso à rodovia (Ronan Rocha). No período da manhã, a partir das 6h30, fica um caos. Eu levo minha filha à escola cedo e os motoristas estão até subindo no canteiro da avenida para entrar em outra via para conseguir chegar a tempo nos compromissos. O setor competente deveria resolver esse problema que estamos enfrentando ali”, disse Tiago.

Além dos gargalos nas vias de Franca, também são registrados grandes congestionamentos nas alças de acesso das rodovias que cortam a cidade, correndo perigo de provocar acidentes nos horários de pico. A Prefeitura garante que fez vários estudos e projetos estão sendo elaborados para buscar uma solução para o caos. Segundo esses estudos, os principais pontos de congestionamento foram identificados na Rotatória do Distrito Industrial, nos pontilhões do Parque Vicente Leporace e Vila São Sebastião, na Avenida Brasil, Avenida Adhemar de Barros e Avenida Hélio Palermo.

Sobre o projeto de construção de novos pontilhões na rodovia Cândido Portinari, próximo ao Leporace e Vila São Sebastião, que poderia ajudar a solucionar os engarrafamentos naqueles locais, a prefeitura apenas disse que vem investindo em melhorias e nas sinalizações de trânsito.

“A Prefeitura tem trabalhado para melhorar, cada vez mais, o trânsito da cidade de Franca, porém esse é um problema que além do investimento do poder público, é necessária a colaboração de todos. A conscientização e o respeito às regras de trânsito precisam fazer parte da rotina da população”, disse Marcos Aurélio Passeti, diretor do Departamento de Trânsito de Franca.

11 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

  • Andreas Konder
    26/06/2022
    Que tal transporte público de boa qualidade?
  • Roberto
    26/06/2022
    Na avenida Orlando Dompieri os semáforos entre as ruas Antônio Bernardes Pinto e Rotatória do Pronto Socorro não estão sincronizados o que gera gargalos e congestionamento. Em outros pontos da cidade não há sincronização entre os semáforos o que causa congestionamento, avenida Presidente Vargas é um exemplo disso Outro caso é na avenida Major Nicácio em que os semáforos entre os cruzamentos da avenida Santa Cruz e Elisa Verzola Gozuen tambem não tem sincronização causando vários congestionamentos. No cruzamento da avenida Moacir Vieira Coelho com a rua Joaquim Cândido Guilobel existe um retorno à esquerda com mão dupla o que causa grande congestionamento em horários de pico , a melhor solução é retirar esse retorno e fazer com o que acesso ao bairro seja feito através do cruzamento com semáforo logo a frente. Na avenida Abrão Brickmann e Orlando Dompieri existem vários retornos a esquerda com mão dupla e causam grandes congestionamentos, pois os veículos para realizarem o retorno ocupam uma faixa da avenida e com isso a faixa da esquerda fica toda parada. Como solução pode ser adotada a mão única nos retornos juntamente com o rebaixamento do retorno central criando uma \"terceira faixa\" e nessa faixa os carros que vão fazer o retorno ficam aguardando o momento ideal para transpor a via e não atrapalham a circulação dos veículos que estão na mesma faixa de rolamento.
  • Xing Ling
    26/06/2022
    Isso com a gasolina a 7.00....imagina se custasse 4.50
  • Observador
    27/06/2022
    Dizer que Franca tem problemas de trânsito, na minha opinião, é equivocado. agora, dizer que Franca tem problemas com seus motoristas mal educados, sem habilidade e ignorantes ai sim é, na minha opinião, verdadeiro.
  • João
    27/06/2022
    Não basta sinalização, é preciso uma educação de trânsito ao motorista francano qué muito mal educado. Quanto os pontilhões e alça de acesso, é de competência da concessionária do D.E.R.
  • Dirceu
    27/06/2022
    O número de veiculos está crescendo a cada dia, portanto é normal, alguns mini congestionamentos e trânsito lento. Nós não podemos continuar achando que só porque somos do \"interior\", que não vamos ter problemas de cidade grande... O negócio é ter paciência e seguir em frente, se houvesse algo mágico que resolvesse esse problema, Ribeirão Preto, Campinas e outras cidades mais, não enfrentariam o mesmo problema. Só pra não esquecer, as rotatórias cabem dois carros, é bom pros francanos saberem, porque por aqui o povo acostumou a passar um carro de cada vez, e se a gente for passar em dois carros ainda ficam bravos.
  • Eu
    27/06/2022
    As rotatórias não são um modelo seguro e nem democrático, tem de ser substituidas com urgência por semáforos, em alguns ponto é uma verdadeira roleta russa. O semáforo por sua vez distribuia o transito de forma eficiente, ou as passagens de nível ou elevadas conforme a disposição e verbas do poder público.
  • engenheiro
    27/06/2022
    Quando vamos começar a falar na rodovia ligando a Candido Portinari com Joao Traficante, Tancredo Neves e Nelson Nogueira? Adhemar de Barros automaticamente problema resolvido.
  • ivomarr polo
    27/06/2022
    o transito que liga o bairro vera cruz a rodovia cândido Portinari esta um caos os motoristas não respeitam a faixa e invadem na contra mao,peço o departamento de transito que verifique principalmente no horario de pico
  • TATIANE
    27/06/2022
    Também...depois que colocaram um semáforo a cada esquina...ficou complicado. Anda um quarteirao, pára. Mais um...pára...o trânsito não flui mesmo. Há...sem contar nas lombofaixas...um inferno essa cidade
  • Pedro
    29/06/2022
    Ficar parado gastando combustível esperando o trânsito andar ou se antecipar a esse padrão que se repete diariamente e literalmente contornar o engarrafamento? Eis a questão.... Eu sei a resposta. Você sabe?