VIOLÊNCIA

VIOLÊNCIA

Jovem agredida em carro é achada na casa da sogra e diz que fez as pazes com namorado

Jovem agredida em carro é achada na casa da sogra e diz que fez as pazes com namorado

Garota de 18 anos foi encontrada ferida embaixo da cama da sogra. Vítima não quis registrar B.O., mas namorado poderá responder por cárcere privado e tentativa de feminicídio.

Garota de 18 anos foi encontrada ferida embaixo da cama da sogra. Vítima não quis registrar B.O., mas namorado poderá responder por cárcere privado e tentativa de feminicídio.

Por Kaique Castro | 29/06/2022 | Tempo de leitura: 2 min
da Redação

Por Kaique Castro
da Redação

29/06/2022 - Tempo de leitura: 2 min

Reprodução

Luís Fernando Messias é acusado de ter praticado crimes contra a namorada

Os policiais da DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) encontraram no fim da manhã desta quarta-feira, 29, a jovem Kimberly Ives de Oliveira, de 18 anos, que foi agredida e sequestrada durante a tarde desta terça-feira, 28. O namorado da vítima, Luís Fernando Messias, é o acusado de ter praticado os crimes.

Segundo a delegada Juliana Paiva, responsável pela especializada, as investigações começaram logo após a divulgação do vídeo que mostraria Kimberly sendo agredida dentro do carro.

“Após diligências investigativas, encontramos a vítima dentro da casa da mãe do autor. Em primeiro momento a mãe não queria passar informações, mas depois de conversa deixou a gente entrar. Ela (vítima) foi encontrada escondida debaixo da cama”, disse a delegada.

Ainda segundo Juliana, Kimberly não queria registrar um boletim de ocorrência contra o namorado, mas como o crime de violência doméstica não precisa de apresentação da vítima, ela foi encaminhada para a delegacia.

“Quando a encontramos ela não quis prestar esclarecimento e disse estar ali (casa da sogra) por livre espontânea vontade, que não estava sofrendo ameaça. Mas percebemos que ela estava toda agredida, lesionada, e como o crime de lesão corporal no âmbito da violência doméstica não precisa de apresentação, convidamos ela para vir até a delegacia. Já tomamos a sua oitiva e encaminharemos ela pra realizar um exame de corpo delito no IML”, continuou a delegada.

Durante o seu depoimento, Kimberly informou que depois das agressões, ela e o namorado se acertaram e ficaram juntos.

“Ela se mostrou muito na defensiva. Defendia muito o autor. Nós explicamos para ela todo o histórico de agressões do namorado, inclusive com outras ex-namoradas. Conseguimos também identificar que existiam ameaças de ambas as partes, eles brigam muito”, disse a delegada.

Além de Kimberly, sua mãe e a mãe de Luis Fernando foram ouvidas. Juliana ainda confirmou que a jovem estava com lesões no rosto e no corpo. Após ser ouvida, ela foi encaminhada para o IML (Instituto Médico Legal) onde passou por exame de corpo delito.

Ela foi levada para a casa da mãe, mas segundo a delegada, havia pedido para ficar com a sogra.

A princípio, Luis Fernando responderá por lesão corporal qualificada e após a conclusão da investigação ele poderá responder por outros crimes como cárcere privado e tentativa de feminicídio.

Luis Fernando não foi encontrado. O carro que ele estava também não foi localizado. Há suspeita de que o Fox usado durante as agressões seja veículo de furto.

Entenda
Durante a tarde desta terça-feira, um vídeo onde um homem aparece agredindo uma mulher dentro de um carro na avenida Alonso y Alonso, nas proximidades da cachoeira, viralizou em grupos de WhatsApp.

As polícias Civil e Militar já estavam procurando o agressor, quando durante a noite, a mãe de Kimberly e uma amiga foram até a CPJ (Central de Polícia Judiciária), onde um Boletim de Ocorrência foi registrado.

Leia mais
Jovem agredida dentro de carro está desaparecida, denuncia família

Os policiais da DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) encontraram no fim da manhã desta quarta-feira, 29, a jovem Kimberly Ives de Oliveira, de 18 anos, que foi agredida e sequestrada durante a tarde desta terça-feira, 28. O namorado da vítima, Luís Fernando Messias, é o acusado de ter praticado os crimes.

Segundo a delegada Juliana Paiva, responsável pela especializada, as investigações começaram logo após a divulgação do vídeo que mostraria Kimberly sendo agredida dentro do carro.

“Após diligências investigativas, encontramos a vítima dentro da casa da mãe do autor. Em primeiro momento a mãe não queria passar informações, mas depois de conversa deixou a gente entrar. Ela (vítima) foi encontrada escondida debaixo da cama”, disse a delegada.

Ainda segundo Juliana, Kimberly não queria registrar um boletim de ocorrência contra o namorado, mas como o crime de violência doméstica não precisa de apresentação da vítima, ela foi encaminhada para a delegacia.

“Quando a encontramos ela não quis prestar esclarecimento e disse estar ali (casa da sogra) por livre espontânea vontade, que não estava sofrendo ameaça. Mas percebemos que ela estava toda agredida, lesionada, e como o crime de lesão corporal no âmbito da violência doméstica não precisa de apresentação, convidamos ela para vir até a delegacia. Já tomamos a sua oitiva e encaminharemos ela pra realizar um exame de corpo delito no IML”, continuou a delegada.

Durante o seu depoimento, Kimberly informou que depois das agressões, ela e o namorado se acertaram e ficaram juntos.

“Ela se mostrou muito na defensiva. Defendia muito o autor. Nós explicamos para ela todo o histórico de agressões do namorado, inclusive com outras ex-namoradas. Conseguimos também identificar que existiam ameaças de ambas as partes, eles brigam muito”, disse a delegada.

Além de Kimberly, sua mãe e a mãe de Luis Fernando foram ouvidas. Juliana ainda confirmou que a jovem estava com lesões no rosto e no corpo. Após ser ouvida, ela foi encaminhada para o IML (Instituto Médico Legal) onde passou por exame de corpo delito.

Ela foi levada para a casa da mãe, mas segundo a delegada, havia pedido para ficar com a sogra.

A princípio, Luis Fernando responderá por lesão corporal qualificada e após a conclusão da investigação ele poderá responder por outros crimes como cárcere privado e tentativa de feminicídio.

Luis Fernando não foi encontrado. O carro que ele estava também não foi localizado. Há suspeita de que o Fox usado durante as agressões seja veículo de furto.

Entenda
Durante a tarde desta terça-feira, um vídeo onde um homem aparece agredindo uma mulher dentro de um carro na avenida Alonso y Alonso, nas proximidades da cachoeira, viralizou em grupos de WhatsApp.

As polícias Civil e Militar já estavam procurando o agressor, quando durante a noite, a mãe de Kimberly e uma amiga foram até a CPJ (Central de Polícia Judiciária), onde um Boletim de Ocorrência foi registrado.

Leia mais
Jovem agredida dentro de carro está desaparecida, denuncia família

17 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

  • Belchior De Melo Santos
    29/06/2022
    essa aí gosta dos \"vida loka e torta\" kkkkkkk
  • Belchior De Melo Santos
    29/06/2022
    essa aí gosta dos \"vida loka e torta\" kkkkkkk
  • Jose Aparecido Gomes
    29/06/2022
    Essa gosta de apanhar, pela atitude dela. Absurdo o cara bate, quase mata e ainda defende o vagabundo. Tem hora que da vontade de enfiar a cabeça num buraco igual avestruz.
  • FERNANDO
    29/06/2022
    por essa atitude já se percebe q ela é farinha do mesmo saco....os dois se merecem
  • alex
    29/06/2022
    Ahhhhh eu ja sabia.
  • Luciano
    29/06/2022
    Infelizmente mulher gosta de homem vagabundo e que mexe com drogas..eu tinha uma família e hoje nem meu filho consigo ver direito.....mulher gosta de homem vagabundo e a gente que e certo e trabalhador não vale nada.dura realidade.
  • Tiago
    29/06/2022
    Os dois já tá igual fruta
  • josi
    29/06/2022
    quem passa vergonha é a mae kkkk
  • Juca
    30/06/2022
    Otária, os dois se merecem mesmo
  • Dirceu
    30/06/2022
    Infelizmente o medo faz essas coisas, a moça sabe que a LEI é fraca, e que uma medida protetiva não adianta de nada. Se ela fizesse o B.O., provavelmente semana q vem estaria-mos lendo que ela estivesse morta... Em quase todos os casos de feminicidio, existe medida protetiva. Ela achou que era melhor apanhar de vez em quando e continuar viva.
  • Alice
    30/06/2022
    Por que expor a imagem de uma pessoa que está passando por violência? Coloquem a foto do agressor. Obviamente ela não vai sair fácil desse relacionamento, precisa de ajuda psicológica. O GCN desconhece o ciclo de agressão? Não faz uma problematização de nada..a coisa mais comum em casos de violência é a vítima voltar com o agressor. Por que não chama um profissional de saúde e faz um alerta? Reportagem sem preocupação social
  • Daniel
    30/06/2022
    tudo muito lamentável.
  • THIAGO MULE BIANCHI
    30/06/2022
    normal
  • .
    30/06/2022
    Aí a polícia perde todo um tempo investigando caso que não vai dar em nada porque a vítima é uma desmiolada. Se merecem viu. Só sinto pelo casal que ficou seguindo o carro na tentativa de ajudar e pela polícia que vai ter seu trabalho em vão.
  • PROFESSOR
    30/06/2022
    POR ESSAS E OUTRAS EU NUNCA ENTRO EM BRIGA DE MARIDO E MULHER (CASAL), NO FINAL , RISCO DE VC TOMAR UMA BALA E O TAL AGREDIDO(A) VOLTA DE BOA COM O MELIANTE... COMPLICADO.
  • Tiago
    30/06/2022
    Por algum motivo eu não estou surpreso. Agora dificil não rir da cara de bunda de quem ficou revoltado com o caso.
  • S. Souza
    01/07/2022
    A moça diz que não foi sequestrada, que não estava em cárcere privado, que não foi agredida. Na notícia consta que ela foi \'convidada\' para ir à delegacia. Estranho convite, pois ela prestou depoimento e foi levada para fazer exame no IML, mesmo dizendo que ama o namorado e que não deseja se queixar dele. Parece que ela está sendo coagida a acusar o namorado.