RECEITA

RECEITA

Creme de Palmito

Creme de Palmito

O palmito é o “coração” de várias espécies de palmeiras. Nosso país possui uma das maiores diversidades do mundo. Veja a receita de Sonia Machiavelli.

O palmito é o “coração” de várias espécies de palmeiras. Nosso país possui uma das maiores diversidades do mundo. Veja a receita de Sonia Machiavelli.

Por Sonia Machiavelli | 10/07/2022 | Tempo de leitura: 2 min
especial para o GCN

Por Sonia Machiavelli
especial para o GCN

10/07/2022 - Tempo de leitura: 2 min

Ingredientes

  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 1 cebola pequena 
  • 1 colher (sopa) de amido de milho 
  • 2 xícaras (chá) de caldo de legumes
  • 2 xícaras (chá) de leite 
  • 300 gramas de palmito 
  • ½ lata de creme de leite
  • Salsa a gosto

O palmito é o “coração” de várias espécies de palmeiras. Nosso país possui uma das maiores diversidades do mundo. Consumimos palmito da palmeira juçara, do açaí, da pupunha, só para citar três. A parte comestível é a ponta da palmeira, cerca de 30 cm. Com poucas calorias e gorduras, rico em sais minerais, boa fonte de vitamina C e B, é alimento de paladar delicado e fácil digestão.

A maioria dos palmitos só pode ser cortada quando está com água pelo meio do tronco. Os palmiteiros chegam de canoa às árvores e as derrubam a golpes de foice. Antes que o tronco afunde é retirado o palmito. O “coração” é puxado para dentro da canoa, todo o resto é levado pelo rio. Cada palmiteiro corta de 80 a 150 palmitos por dia.

A juçara foi, até a década de 60, a maior fonte de palmito para o nosso consumo. Devido à excessiva exploração, a maioria dos palmitos encontrados hoje no mercado vem do tronco do açaí. Acontece que como leva mais de sete anos para crescer, juçaras muito pequenas estão sendo cortadas, impedindo a regeneração natural das florestas. Isso é sério. Em geral, aquele palmito já picado dentro do vidro vem desse açaí ainda jovem.

Então, cada vez que você se deliciar com um prato onde entrou palmito, pense que é um privilégio poder degustá-lo. Seja em saladas, recheios ou numa sopa-creme como esta que você vê na ilustração. 

Comprar palmito de boa qualidade, macio e sem fibras ou partes duras, requer certo conhecimento das marcas. Tenho usado o Sandyla, que até agora não me frustrou. Comece retirando os toletes do vidro. Reserve um para a finalização do prato e parta os outros em rodelas finas.  Em uma panela, derreta a manteiga e refogue a cebola picadinha até dourar. Acrescente o palmito em rodelas e refogue um pouco; em seguida acrescente o caldo de legumes e deixe ferver. Junte então o leite, baixe a chama, aguarde até ferver novamente. Teste o sal e apimente se gostar.  Dissolva o amido de milho em pouquinho de leite e junte à sopa. Mexa sem parar para não empelotar. Assim que espessar, desligue o fogo e com cuidado leve ao liquidificador. Bata por um minuto e volte com a mistura para panela. Deixe ferver até chegar a uma consistência de creme. Acrescente o creme de leite, mexa e desligue. Corte em pedaços o tolete reservado, disponha sobre o creme, salpique a salsa. Sirva, colocando ao lado croutons ou torradas.

Outra opção é servir dentro do pão italiano. Nesse caso, corte um tampa, retire o miolo e leve o pão ao forno para tostar. Depois coloque o creme de palmito, cubra com parmesão ralado e leve a gratinar. Em noites frias, é tudo de bom.

Ingredientes

  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 1 cebola pequena 
  • 1 colher (sopa) de amido de milho 
  • 2 xícaras (chá) de caldo de legumes
  • 2 xícaras (chá) de leite 
  • 300 gramas de palmito 
  • ½ lata de creme de leite
  • Salsa a gosto

O palmito é o “coração” de várias espécies de palmeiras. Nosso país possui uma das maiores diversidades do mundo. Consumimos palmito da palmeira juçara, do açaí, da pupunha, só para citar três. A parte comestível é a ponta da palmeira, cerca de 30 cm. Com poucas calorias e gorduras, rico em sais minerais, boa fonte de vitamina C e B, é alimento de paladar delicado e fácil digestão.

A maioria dos palmitos só pode ser cortada quando está com água pelo meio do tronco. Os palmiteiros chegam de canoa às árvores e as derrubam a golpes de foice. Antes que o tronco afunde é retirado o palmito. O “coração” é puxado para dentro da canoa, todo o resto é levado pelo rio. Cada palmiteiro corta de 80 a 150 palmitos por dia.

A juçara foi, até a década de 60, a maior fonte de palmito para o nosso consumo. Devido à excessiva exploração, a maioria dos palmitos encontrados hoje no mercado vem do tronco do açaí. Acontece que como leva mais de sete anos para crescer, juçaras muito pequenas estão sendo cortadas, impedindo a regeneração natural das florestas. Isso é sério. Em geral, aquele palmito já picado dentro do vidro vem desse açaí ainda jovem.

Então, cada vez que você se deliciar com um prato onde entrou palmito, pense que é um privilégio poder degustá-lo. Seja em saladas, recheios ou numa sopa-creme como esta que você vê na ilustração. 

Comprar palmito de boa qualidade, macio e sem fibras ou partes duras, requer certo conhecimento das marcas. Tenho usado o Sandyla, que até agora não me frustrou. Comece retirando os toletes do vidro. Reserve um para a finalização do prato e parta os outros em rodelas finas.  Em uma panela, derreta a manteiga e refogue a cebola picadinha até dourar. Acrescente o palmito em rodelas e refogue um pouco; em seguida acrescente o caldo de legumes e deixe ferver. Junte então o leite, baixe a chama, aguarde até ferver novamente. Teste o sal e apimente se gostar.  Dissolva o amido de milho em pouquinho de leite e junte à sopa. Mexa sem parar para não empelotar. Assim que espessar, desligue o fogo e com cuidado leve ao liquidificador. Bata por um minuto e volte com a mistura para panela. Deixe ferver até chegar a uma consistência de creme. Acrescente o creme de leite, mexa e desligue. Corte em pedaços o tolete reservado, disponha sobre o creme, salpique a salsa. Sirva, colocando ao lado croutons ou torradas.

Outra opção é servir dentro do pão italiano. Nesse caso, corte um tampa, retire o miolo e leve o pão ao forno para tostar. Depois coloque o creme de palmito, cubra com parmesão ralado e leve a gratinar. Em noites frias, é tudo de bom.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.