RECEITA

RECEITA

Entradinha siciliana

Entradinha siciliana

Todos os domingos acompanho as aventuras de Anthony Bourdain pelo mundo, misturando culinária, geografia, sociologia, cultura enfim. Veja a receita de Sonia Machiavelli.

Todos os domingos acompanho as aventuras de Anthony Bourdain pelo mundo, misturando culinária, geografia, sociologia, cultura enfim. Veja a receita de Sonia Machiavelli.

Por Sonia Machiavelli | 31/07/2022 | Tempo de leitura: 3 min
especial para o GCN

Por Sonia Machiavelli
especial para o GCN

31/07/2022 - Tempo de leitura: 3 min

Ingredientes

  • 300 gramas de tomatinhos cereja
  • 1 pão italiano pequeno cortado em cubos
  • 2 colheres de azeite para tostar o pão

Pesto

  • 1 xícara (chá) de folhas de manjericão fresco
  • 2 dentes de alho bem picados.
  • 4 nozes
  • 4 colheres de parmesão ralado
  • 1 xícara de azeite
  • Sal e pimenta-do-reino a gosto

Anthony Bourdain está mais uma vez na telinha. Todos os domingos acompanho suas aventuras pelo mundo, misturando culinária, geografia, sociologia, cultura enfim. O chef continua charmoso e sua conversa inteligente com pessoas diversas me encanta. Só raras vezes me dou conta de que ele morreu há quatro anos, tirando sua própria vida num quarto de luxuoso hotel na França, onde filmava. Como pode?! Eu me pergunto ingenuamente, avaliando a superfície das coisas. Com certeza razões haveria de sobra na sua alma atormentada que o sorriso lindo e caloroso nem sempre disfarçava.

Ele gostava dos clássicos, dos grandes sabores, das histórias que existiam atrás de cada receita. Era isso que procurava. Mas não se afastava dos pratos bizarros de algumas culturas e fazia questão de experimentá-los e mostrá-los em seus vídeos onde a vida continua pulsando em sua singularidade. “Experimente!”- ele costumava dizer. E completava: “A gente só vive uma vez.” Acho que ele viveu pouco.

No último programa que vi, ele estava na exuberante e misteriosa Sicília. O vídeo em alguns momentos lembra cena de filme sobre a máfia. Não poderia faltar o filho adulto elogiando a comida da mamma, e mais, ajudando a prepará-la numa cozinha de casa típica de Palermo. Bourdain chega e se oferece para ajudar. Dão-lhe uma faca para picar a salsinha. Enquanto isso a mãe-cozinheira torra cubinhos de pão no azeite. O filho explica que é para eles ficarem bem crocantes e que o pão é amanhecido. Não serve pão fresco. A câmera fixa as mãos gordas da siciliana (não se dizem italianos os nascidos na ilha) cortando delicadamente tomatinhos cereja em quatro. Mais adiante surge o pesto, já preparado. É hora de reunir os cubinhos de pão, os tomates e o molho, mexendo com as mãos. Para finalizar, um fio de azeite. Está pronta a entradinha mais típica do lugar, que Anthony saboreia depois de aceitar o tinto que lhe é oferecido pelo anfitrião. Sua expressão é tão boa, feliz e convidativa que no dia seguinte fiz a minha versão, que igualmente degustei com muito prazer.

É tão fácil preparar! Faça o pesto primeiro. Junte num pilãozinho as folhas de manjericão, o dente de alho, o sal e o azeite. Macere até transformar em pasta, agregue o queijo ralado e volte a ‘pestar.’ (Este molho também serve para ser usado em pratos de massa, saladas, sanduíches, ovos mexidos, sopas). Depois é só cortar o pão, fritá-lo de leve numa frigideira untada com azeite para que fique crocante, e misturar os três ingredientes com carinho: tomatinhos cortados em quatro, pão tostado e pesto. Coloque numa travessa e sirva, correndo um breve fio de azeite na superfície. 

A mulher também preparou umas batatas recheadas com queijo, empanadas e fritas por imersão. Segundo Bourdain, estavam maravilhosas. Qualquer dia desses vou experimentar.

Essa cozinha simples, com produtos locais frescos, de pratos servidos informalmente, parecia ser a preferida do chef, escritor e apresentador que nos deixou tão cedo. Tinha apenas 61 anos.

Ingredientes

  • 300 gramas de tomatinhos cereja
  • 1 pão italiano pequeno cortado em cubos
  • 2 colheres de azeite para tostar o pão

Pesto

  • 1 xícara (chá) de folhas de manjericão fresco
  • 2 dentes de alho bem picados.
  • 4 nozes
  • 4 colheres de parmesão ralado
  • 1 xícara de azeite
  • Sal e pimenta-do-reino a gosto

Anthony Bourdain está mais uma vez na telinha. Todos os domingos acompanho suas aventuras pelo mundo, misturando culinária, geografia, sociologia, cultura enfim. O chef continua charmoso e sua conversa inteligente com pessoas diversas me encanta. Só raras vezes me dou conta de que ele morreu há quatro anos, tirando sua própria vida num quarto de luxuoso hotel na França, onde filmava. Como pode?! Eu me pergunto ingenuamente, avaliando a superfície das coisas. Com certeza razões haveria de sobra na sua alma atormentada que o sorriso lindo e caloroso nem sempre disfarçava.

Ele gostava dos clássicos, dos grandes sabores, das histórias que existiam atrás de cada receita. Era isso que procurava. Mas não se afastava dos pratos bizarros de algumas culturas e fazia questão de experimentá-los e mostrá-los em seus vídeos onde a vida continua pulsando em sua singularidade. “Experimente!”- ele costumava dizer. E completava: “A gente só vive uma vez.” Acho que ele viveu pouco.

No último programa que vi, ele estava na exuberante e misteriosa Sicília. O vídeo em alguns momentos lembra cena de filme sobre a máfia. Não poderia faltar o filho adulto elogiando a comida da mamma, e mais, ajudando a prepará-la numa cozinha de casa típica de Palermo. Bourdain chega e se oferece para ajudar. Dão-lhe uma faca para picar a salsinha. Enquanto isso a mãe-cozinheira torra cubinhos de pão no azeite. O filho explica que é para eles ficarem bem crocantes e que o pão é amanhecido. Não serve pão fresco. A câmera fixa as mãos gordas da siciliana (não se dizem italianos os nascidos na ilha) cortando delicadamente tomatinhos cereja em quatro. Mais adiante surge o pesto, já preparado. É hora de reunir os cubinhos de pão, os tomates e o molho, mexendo com as mãos. Para finalizar, um fio de azeite. Está pronta a entradinha mais típica do lugar, que Anthony saboreia depois de aceitar o tinto que lhe é oferecido pelo anfitrião. Sua expressão é tão boa, feliz e convidativa que no dia seguinte fiz a minha versão, que igualmente degustei com muito prazer.

É tão fácil preparar! Faça o pesto primeiro. Junte num pilãozinho as folhas de manjericão, o dente de alho, o sal e o azeite. Macere até transformar em pasta, agregue o queijo ralado e volte a ‘pestar.’ (Este molho também serve para ser usado em pratos de massa, saladas, sanduíches, ovos mexidos, sopas). Depois é só cortar o pão, fritá-lo de leve numa frigideira untada com azeite para que fique crocante, e misturar os três ingredientes com carinho: tomatinhos cortados em quatro, pão tostado e pesto. Coloque numa travessa e sirva, correndo um breve fio de azeite na superfície. 

A mulher também preparou umas batatas recheadas com queijo, empanadas e fritas por imersão. Segundo Bourdain, estavam maravilhosas. Qualquer dia desses vou experimentar.

Essa cozinha simples, com produtos locais frescos, de pratos servidos informalmente, parecia ser a preferida do chef, escritor e apresentador que nos deixou tão cedo. Tinha apenas 61 anos.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.