BOMBANDO

BOMBANDO

Procura por zero km aumenta e Franca emplaca 417 novos veículos só em julho

Procura por zero km aumenta e Franca emplaca 417 novos veículos só em julho

'O consumidor estava um pouco mais tímido, estava com uma incerteza', diz o gerente de vendas da Jeep de Franca, Saulo Roberto Tollotti, referindo-se à pandemia.

'O consumidor estava um pouco mais tímido, estava com uma incerteza', diz o gerente de vendas da Jeep de Franca, Saulo Roberto Tollotti, referindo-se à pandemia.

Por Pedro Baccelli | 05/08/2022 | Tempo de leitura: 1 min
da Redação

Por Pedro Baccelli
da Redação

05/08/2022 - Tempo de leitura: 1 min

Pedro Baccelli/GCN

Gerente de vendas da Jeep de Franca, Saulo Roberto Tollotti

O setor automobilístico registrou aumento nas vendas de 0 km. Apenas no mês de julho, 417 veículos novos foram emplacados em Franca contra 354 em junho, segundo dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores).

Um dos principais responsáveis por esse crescimento foi o carro. Em julho, 190 carros foram emplacados. Já no mês de junho, foram 174.

A procura foi sentida pelas concessionárias da cidade. "Dentro da nossa marca, foi um excelente mês diante de tudo que está ocorrendo, diante de um ano eleitoral", diz o gerente de vendas da Jeep de Franca, Saulo Roberto Tollotti.

O aumento aparece após o setor sentir os efeitos econômicos causados pela pandemia do coronavírus. "O consumidor estava um pouco mais tímido, estava com uma incerteza".

Segundo Saulo, tem público para todos os gostos de veículos, ou seja, foram procurados desde os famosos "populares" até os mais luxuosos, que podem chegar até R$ 500 mil na Jeep.

Não é exagero de Saulo. A procura foi ampla, inclusive entre outros tipos de veículos. De acordo com o levantamento, foram 69 comerciais leves contra 34 em junho. As concessionárias de Franca venderam oito caminhões em junho e nove neste mês. Já ônibus, foram dois contra nenhum no último mês.

Alta procura que esbarra no tempo de espera para recebimento do veículo. "As montadoras em si, estão capacitadas em ter essa demanda, porém, tem esse tempo de espera um pouco mais longo".

Dependendo do automóvel, o tempo de espera pode oscilar entre três a nove meses. "A meu ver, pode levar uma média de 18 a 24 meses para se normalizar".

As motos foram as únicas que apresentaram queda no número de emplacamentos. Ao todo, 183 motos foram vendidas em junho. Em julho, 147. Juntando todos os tipos de veículos, houve 2.711 emplacamentos no acumulado deste ano.

O setor automobilístico registrou aumento nas vendas de 0 km. Apenas no mês de julho, 417 veículos novos foram emplacados em Franca contra 354 em junho, segundo dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores).

Um dos principais responsáveis por esse crescimento foi o carro. Em julho, 190 carros foram emplacados. Já no mês de junho, foram 174.

A procura foi sentida pelas concessionárias da cidade. "Dentro da nossa marca, foi um excelente mês diante de tudo que está ocorrendo, diante de um ano eleitoral", diz o gerente de vendas da Jeep de Franca, Saulo Roberto Tollotti.

O aumento aparece após o setor sentir os efeitos econômicos causados pela pandemia do coronavírus. "O consumidor estava um pouco mais tímido, estava com uma incerteza".

Segundo Saulo, tem público para todos os gostos de veículos, ou seja, foram procurados desde os famosos "populares" até os mais luxuosos, que podem chegar até R$ 500 mil na Jeep.

Não é exagero de Saulo. A procura foi ampla, inclusive entre outros tipos de veículos. De acordo com o levantamento, foram 69 comerciais leves contra 34 em junho. As concessionárias de Franca venderam oito caminhões em junho e nove neste mês. Já ônibus, foram dois contra nenhum no último mês.

Alta procura que esbarra no tempo de espera para recebimento do veículo. "As montadoras em si, estão capacitadas em ter essa demanda, porém, tem esse tempo de espera um pouco mais longo".

Dependendo do automóvel, o tempo de espera pode oscilar entre três a nove meses. "A meu ver, pode levar uma média de 18 a 24 meses para se normalizar".

As motos foram as únicas que apresentaram queda no número de emplacamentos. Ao todo, 183 motos foram vendidas em junho. Em julho, 147. Juntando todos os tipos de veículos, houve 2.711 emplacamentos no acumulado deste ano.

4 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

  • Xing Ling
    05/08/2022
    Isso só comprova o que já venho falando: francano está chorando de barriga cheia. Em uma cidade que casa de meio terreno vale 550 mil e em alta assim a venda de carro 0km mostra que o francano está é bem rico e reclamando demais. Que inflação que nada...
  • Joao
    05/08/2022
    Com o valor que está o carro usado, melhor pagar caro em carro zero.
  • Dirceu
    05/08/2022
    Os Ricos cada vez mais ricos e os pobres, por sua vez, passando fome. A desigualdade nunca foi tão grande como hj.
  • Gabiroba
    05/08/2022
    Parabéns ao nosso governo federal! Conseguiu distanciar bastante os pobres dos ricos, agora pobre não compra nem usado e rico se esbalda nas suas suvs. E francano rico reclamar de dinheiro é quase que histórico e rotineiro. É modo de sobrevivência, para seus funcionários não pedirem aumento acima do salário mínimo!