REPERCUSSÃO

REPERCUSSÃO

Júlio Lancellotti critica fala de prefeito: ‘Dar ou não esmola é questão de foro íntimo’

Júlio Lancellotti critica fala de prefeito: ‘Dar ou não esmola é questão de foro íntimo’

Pedido do prefeito Alexandre Ferreira para que francanos não deem dinheiro às pessoas em situação de rua não foi visto com bons olhos pelo padre e outras lideranças religiosas.

Pedido do prefeito Alexandre Ferreira para que francanos não deem dinheiro às pessoas em situação de rua não foi visto com bons olhos pelo padre e outras lideranças religiosas.

Por Heloísa Taveira | 10/08/2022 | Tempo de leitura: 2 min
da Redação

Por Heloísa Taveira
da Redação

10/08/2022 - Tempo de leitura: 2 min

Heloísa Taveira/GCN

Padre que acumula mais de um milhão de seguidores nas redes sociais criticou a postura do prefeito de Franca na ação envolvendo a população de rua

A declaração do prefeito Alexandre Ferreira (MDB) sobre não dar dinheiro aos moradores em situação de rua foi parar nas redes sociais do padre Júlio Lancelotti, conhecido pelo trabalho social exercido com esta população em todo estado de São Paulo. Na postagem, o padre critica o prefeito: “Aporofobia arrogante”.

O termo usado por Lancellotti se refere à aversão aos pobres. Para o padre, a postura de Alexandre Ferreira é cruel. “O Estado não pode tutelar a consciência das pessoas. Ele tem que garantir o seu papel constitucional. A Prefeitura tem que realizar as ações sociais, mas ela não pode interferir no comportamento da população. Dar ou não dar a esmola, roupa ou comida é uma questão de foro íntimo. Você quem decide no teu relacionamento com as pessoas, não é a Prefeitura”, disse.

Nos comentários da publicação no Instagram do padre, muitas pessoas também não concordaram com o pedido feito pelo prefeito de Franca, que afirma suprir as necessidades da população com as políticas públicas implantadas na cidade.

“Grande parte da população não é simpática a uma fala dessa. Quando fala: não dê comida, água, nada, o nada é não dar atenção, não falar nada, ignorar”, falou Lancellotti.

Jorge Luís Martins, que faz parte da Comissão de Justiça e Paz da Diocese de Franca, acompanhou a ação de retirada dos moradores de rua no prédio da Mogiana na última segunda-feira, 8, e ressaltou que essas poderiam ter tido uma melhor abordagem.

“Quais outras possibilidades de trabalho, moradia, saúde ou dignidade para uma nova caminhada de vida foram apresentadas? Sinceramente não acredito, porque a única resposta do prefeito foi ‘eles foram avisados que teriam que sair do local’. Por certo voltaram para o acampamento perto da Vila Gosuen ou daqui uns dias teremos notícias de que buscarão outro local na cidade, até que sejam expelidos novamente. Questão de tempo, quem viver verá”, falou.

Segundo Jorge, não houve agressão física registrada na retirada dos moradores no prédio da Mogiana, mas verbal. Um vídeo gravado por ele foi enviado ao Ministério Público para conhecimento e análise.

Leia mais: Alexandre pede fim de esmolas: 'Não precisa dar dinheiro, comida, roupa, nada'

A declaração do prefeito Alexandre Ferreira (MDB) sobre não dar dinheiro aos moradores em situação de rua foi parar nas redes sociais do padre Júlio Lancelotti, conhecido pelo trabalho social exercido com esta população em todo estado de São Paulo. Na postagem, o padre critica o prefeito: “Aporofobia arrogante”.

O termo usado por Lancellotti se refere à aversão aos pobres. Para o padre, a postura de Alexandre Ferreira é cruel. “O Estado não pode tutelar a consciência das pessoas. Ele tem que garantir o seu papel constitucional. A Prefeitura tem que realizar as ações sociais, mas ela não pode interferir no comportamento da população. Dar ou não dar a esmola, roupa ou comida é uma questão de foro íntimo. Você quem decide no teu relacionamento com as pessoas, não é a Prefeitura”, disse.

Nos comentários da publicação no Instagram do padre, muitas pessoas também não concordaram com o pedido feito pelo prefeito de Franca, que afirma suprir as necessidades da população com as políticas públicas implantadas na cidade.

“Grande parte da população não é simpática a uma fala dessa. Quando fala: não dê comida, água, nada, o nada é não dar atenção, não falar nada, ignorar”, falou Lancellotti.

Jorge Luís Martins, que faz parte da Comissão de Justiça e Paz da Diocese de Franca, acompanhou a ação de retirada dos moradores de rua no prédio da Mogiana na última segunda-feira, 8, e ressaltou que essas poderiam ter tido uma melhor abordagem.

“Quais outras possibilidades de trabalho, moradia, saúde ou dignidade para uma nova caminhada de vida foram apresentadas? Sinceramente não acredito, porque a única resposta do prefeito foi ‘eles foram avisados que teriam que sair do local’. Por certo voltaram para o acampamento perto da Vila Gosuen ou daqui uns dias teremos notícias de que buscarão outro local na cidade, até que sejam expelidos novamente. Questão de tempo, quem viver verá”, falou.

Segundo Jorge, não houve agressão física registrada na retirada dos moradores no prédio da Mogiana, mas verbal. Um vídeo gravado por ele foi enviado ao Ministério Público para conhecimento e análise.

Leia mais: Alexandre pede fim de esmolas: 'Não precisa dar dinheiro, comida, roupa, nada'

19 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

  • Luiz
    10/08/2022
    A igreja capta dinheiro E MUITO DINHEIRO, mas num vejo tantas boas ações quando olho pros montantes gastos com futilidades como igrejas e capelas gigantescas apenas para poder captar AINDA MAIS DINHEIRO. E nem impostos pagam hein. Daí vem falar sobre dar esmola? isso não compete ao padre, compete às organizações públicas e de segurança. A igreja tem por sua parte fazer ainda mais no âmbito social, mas talvez o padre tá é com medo de parar de receber a esmolinha da igreja também. isso Faz parte dos planos de toda igreja, há MILÊNIOS já. Leiam nas entrelinhas.
  • Oliveira
    10/08/2022
    Só o GCN mesmo pra dar espaço pra esse \"defensor\", nem a Igreja quer saber dele, na vdd não sabe onde colocá-lo, só quer auto promoção pessoal!!
  • jose fernando
    10/08/2022
    Porque este lancelottee não cuida destas pessoas ...leve todos para sua paróquia cuida mesmo leve para sua casa ...so que não fica pedindo ajudas aos fiéis e nem pata as entidades.......
  • R
    10/08/2022
    Leva eles então para sua casa pastor e depois me conta se vai mudar de ideia!
  • soyers
    10/08/2022
    Padre comunista. E pra não dar esmola mesmo, esse povo tem um monte de benefícios que eu trabalhador não tenho. Cara chato, a igreja tinha de excomungar esses ser....
  • henrique
    10/08/2022
    Com todo o respeito ao trabalho que voluntarios e religiosos fazem pelos pobres em geral, cabe lembrar a hipocrisia de nao acolher moradores de rua em igrejas, predios suntuosos, espacosos e VAZIOS.
  • Silas
    10/08/2022
    Gcn baixou o nível mesmo ......claro que a a ação do prefeito está correta precisa ter uma solução imediata isso e ele como o mandatário da cidade ele precisa ter atitudes certas e precisas mesmo sem obter resultados aí vem um bosta como esse velho falar besteira....Leva pra casa dele idiota
  • Antonio
    10/08/2022
    Quem é júlio lancelotti ???
  • Wilson Silva
    10/08/2022
    Porque ele não pega esses delinquentes desocupados que estão nas ruas da cidade roubando e perturbando as pessoas e dê moradia pra eles nos salões paroquiais ou dentro das igrejas mesmo, porque são tantas igrejas e salões que iria fazer uma limpeza nas ruas. Dinheiro as paróquias têm até demais né.
  • ERALDO CLAUDIO AMARAL
    10/08/2022
    O prefeito nessa ta mais q certo ,, ofereca um serviço p moradores de rua ou leve p sua casa
  • iRA
    11/08/2022
    estive nu, me vestiste,com fome me deste o que comer, com sede me deste o que beber,doente me visitaste, sao palavras de Jesus, entao, vejo essa atitude desumana, necessario sim, encaminha-los para suas cidades, mas cortar toda ajuda, nao!
  • djalma
    11/08/2022
    Esse senhor padre continua se metendo onde não foi chamado... como sempre. Deveria se recolher à sua insignificância, penitenciar-se e pedir perdão à sociedade francana o quanto antes.
  • Darsio
    11/08/2022
    O Padre Júlio está errado. Primeiro porque Cristo também não nutria a mínima simpatia pelos excluídos. E, segundo, ele deveria se portar como outros líderes religiosos e, comprar pra si mesmo, mansões, apartamentos nos EUA, fazendas, carros importados, jatinhos etc. Ou ainda vender feijões milagrosos para um bando de imbecis e incentivar que os fiéis deixem seus bens como herança para a sua igreja, digo, bolsos. Afinal, bondade, fraternidade, humildade, respeito etc são coisas do capeta. Graças a Deus, Jesus sempre priorizou os mais ricos e a riqueza material.
  • Darsio
    11/08/2022
    Aliás, porque se preocupar com mais um generoso aumento de salários concedido pelo juízes do STF a eles mesmos? Tudo bem que, o povão está tendo de saciar a fome com ossos, soro de leite e comida retirada do lixo. Afinal, o que são cerca de 7 mil reais que, elevarão os salários para míseros 46 mil reais? Não, não e não, pois temos de despejar o nosso ódio nesses que praticam caridade para com os outros e, aplaudir os que com dinheiro do povão, praticam caridade para seus próprios bolsos. Bando de ignorantes!!!!
  • Guaru
    11/08/2022
    Parabéns prefeito o senhor está correto, esse padre juntamente com os promotores de justiça só atrapalha as ações dos órgãos competentes para resolver esta questão, eles não estão nem aí com o direito e a liberdade dos cidadãos de bem, que também precisam utilizarem dos espaços públicos.
  • Anderson C D Sousa
    11/08/2022
    Essas pessoas não querem formação. Não querem assistência. Não querem formação profissional . Mostrar um livro pra esses caras é o mesmo que mostrar uma enxada a um sem terra. Só querem benefícios. !! Mesmo que se ofereça uma vida digna a eles, não aceitarão. Porque pra eles o que interessa é a vida fácil, o consumo de drogas sem limitação e compromisso com nada. É só isso que eles buscam !! As Igrejas estão abertas sim para acolhe-los!! Desde que se proponham a mudar de vida; mas pra isso eles têm que querer primeiro.
  • Elder
    11/08/2022
    Padreco militante
  • Falcone
    11/08/2022
    Sr prefeito Alexandre Ferreira peça assinaturas da população e junte todos essas sementinhas do mal lota uns 10 ônibus e leva todos para a paróquia desse tal Lancelotti Sr vai ter total apoio dos cidadãos de bem de franca
  • Alex
    12/08/2022
    O que mais me diverte é ver ateu citando a Bíblia, pseudo-cristãos achando que entendem o que lá está escrito e conhecedores que não conhecem a estrutura da Igreja. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK.