NOSSAS LETRAS

NOSSAS LETRAS

Pais

Pais

Leia o texto de Lúcia Brigagão em celebração ao Dia dos Pais.

Leia o texto de Lúcia Brigagão em celebração ao Dia dos Pais.

Por Lúcia Brigagão | 13/08/2022 | Tempo de leitura: 1 min
especial para o GCN

Por Lúcia Brigagão
especial para o GCN

13/08/2022 - Tempo de leitura: 1 min

Nicola Júnior, meu pai.
Nicola, meu avô paterno.
Joaquim, meu avô materno.
André Luiz e Wilson, irmãos, pais.
Roberto, Luiz, Adolfo, Agostinho, Adriano, tios paternos, pais.
Milton, sogro. Pai do pai dos meus filhos.
Paulo Tárcio, cunhado, também pai.
Carlos Alberto, pai dos meus filhos.
Téti, Fernando, meus filhos, hoje pais.
Paul, pai dos meus netos.
Miguel Heitor, Antônio Humberto e Wellington, amigos pais.
André, amigo, às vezes meu pai.
Fernando, meu mais antigo amigo, pai.
Que todos tenham um domingo de paz, de alegria, de comemoração, onde quer que se encontrem.
Para todos eles, o texto quase mantra, que tive o privilégio de ler, durante nossos almoços de comemoração da data, desde há vários anos:

“Pai nosso que está em nossa vida,
Santificada seja essa sua presença.
Venha a nós a sua assistência,
Seja real o reconhecimento do seu esforço
Aqui em casa, como no seu trabalho.

Que venha sempre de Você a nossa alegria.
Que tenha sempre saúde e sabedoria,
E que nos sirva de exemplo, em cada dia.
Perdoa-nos nossas ofensas,
Assim como perdoaremos nossos filhos
Que um dia poderão nos ofender.
Que a gratidão e o agradecimento por seus esforços
Permaneçam por todo o sempre.

E que, ao louvarmos sua imagem em nossos corações,
Sua presença se torne constante tanto em nossas vidas,
Quanto na de nossos descendentes.”

Nicola Júnior, meu pai.
Nicola, meu avô paterno.
Joaquim, meu avô materno.
André Luiz e Wilson, irmãos, pais.
Roberto, Luiz, Adolfo, Agostinho, Adriano, tios paternos, pais.
Milton, sogro. Pai do pai dos meus filhos.
Paulo Tárcio, cunhado, também pai.
Carlos Alberto, pai dos meus filhos.
Téti, Fernando, meus filhos, hoje pais.
Paul, pai dos meus netos.
Miguel Heitor, Antônio Humberto e Wellington, amigos pais.
André, amigo, às vezes meu pai.
Fernando, meu mais antigo amigo, pai.
Que todos tenham um domingo de paz, de alegria, de comemoração, onde quer que se encontrem.
Para todos eles, o texto quase mantra, que tive o privilégio de ler, durante nossos almoços de comemoração da data, desde há vários anos:

“Pai nosso que está em nossa vida,
Santificada seja essa sua presença.
Venha a nós a sua assistência,
Seja real o reconhecimento do seu esforço
Aqui em casa, como no seu trabalho.

Que venha sempre de Você a nossa alegria.
Que tenha sempre saúde e sabedoria,
E que nos sirva de exemplo, em cada dia.
Perdoa-nos nossas ofensas,
Assim como perdoaremos nossos filhos
Que um dia poderão nos ofender.
Que a gratidão e o agradecimento por seus esforços
Permaneçam por todo o sempre.

E que, ao louvarmos sua imagem em nossos corações,
Sua presença se torne constante tanto em nossas vidas,
Quanto na de nossos descendentes.”

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.