FALOU AO VIVO

FALOU AO VIVO

Lula faz live com Janones para rivalizar com Bolsonaro sobre auxílio

Lula faz live com Janones para rivalizar com Bolsonaro sobre auxílio

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fez uma live com o deputado federal André Janones (Avante-MG) em redes sociais para se comprometer em manter o auxílio emergencial.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fez uma live com o deputado federal André Janones (Avante-MG) em redes sociais para se comprometer em manter o auxílio emergencial.

Por Priscila Camazano | 13/08/2022 | Tempo de leitura: 2 min
da Folhapress

Por Priscila Camazano
da Folhapress

13/08/2022 - Tempo de leitura: 2 min

José Cruz/Arquivo/Agência Brasil

A transmissão de Lula ocorreu ao mesmo tempo em que Jair Bolsonaro (PL) dava entrevista ao canal de Rica Perrone no Youtube.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fez uma live com o deputado federal André Janones (Avante-MG) em redes sociais para se comprometer em manter o auxílio emergencial de R$ 600 em 2023.

A transmissão de Lula ocorreu ao mesmo tempo em que Jair Bolsonaro (PL) dava entrevista ao canal de Rica Perrone no Youtube e em meio à preocupação na campanha petista com o impacto eleitoral do pagamento do benefício no atual governo, além do avanço do presidente em pesquisas em Minas Gerais e São Paulo.

​Janones, que tem buscado ampliar a influência de Lula e rivalizar com o presidente nas redes sociais, afirmou que Bolsonaro vai acabar com o auxílio no dia 31 de dezembro. "Lula vai trazer de volta o auxílio emergencial e precisamos que vocês compartilhem essa informação", afirmou.

"Enquanto você não acabar com a miséria nesse país, não tem como acabar com o auxílio emergencial", afirmou Lula.

Questionado sobre esse tema logo após a ​live de Lula, Bolsonaro disse que a fala "é mentira". Segundo ele, vão ser mantidos os R$ 600 de auxílio no ano que vem.

A transmissão de Lula e Janones foi reproduzida nas páginas do Facebook de ambos e também no canal do Youtube do ex-presidente. Ao menos 50 mil pessoas assistiram ao vivo. O vídeo alcançou cerca de 20 mil compartilhamentos, minutos depois do encerramento da transmissão.

Janones era pré-candidato à Presidência, mas desistiu da disputa para apoiar Lula.

O governo federal liberou a última parcela do Auxílio Brasil no valor de R$ 400 em julho. A partir de agosto, o governo federal ampliou o benefício para R$ 600, que será pago de forma temporária até dezembro.

Segundo Lula, a única forma de o auxílio continuar é ele ganhando as eleições, o que Bolsonaro nega. "Não tem explicação para um país como o Brasil as pessoas passarem fome", afirmou o petista. "É preciso um conjunto de políticas públicas para que a economia volte a funcionar."

O candidato à Presidência também pediu para que as pessoas que tiverem direito ao auxílio que não deixem de recebê-lo. "Se cair um dinheirinho na sua conta você pegue e compre o que comer para os seus filhos", afirmou.

Em sua fala, Lula também criticou o programa do atual governo. "É um fundo que foi criado com o objetivo eleitoral, porque o Bolsonaro poderia ter criado isso seis meses atrás, um ano atrás, mas ele deixou para criar perto das eleições que é para poder garantir uma ajuda na campanha", afirmou.

O extinto programa Bolsa Família, criado pelo governo petista, também foi lembrado na fala de Lula. Ele afirmou que o programa não era só para distribuir dinheiro, mas cuidar das pessoas. "É para isso que a gente disputa as eleições, não é para governar é para cuidar do povo", afirmou.

O presidenciável também citou o Dia dos Pais e disse que "é muito triste saber que milhões de pais neste país vão estar com seus filhos e possivelmente muitos não terão o feijão e água para colocar no fogo".

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fez uma live com o deputado federal André Janones (Avante-MG) em redes sociais para se comprometer em manter o auxílio emergencial de R$ 600 em 2023.

A transmissão de Lula ocorreu ao mesmo tempo em que Jair Bolsonaro (PL) dava entrevista ao canal de Rica Perrone no Youtube e em meio à preocupação na campanha petista com o impacto eleitoral do pagamento do benefício no atual governo, além do avanço do presidente em pesquisas em Minas Gerais e São Paulo.

​Janones, que tem buscado ampliar a influência de Lula e rivalizar com o presidente nas redes sociais, afirmou que Bolsonaro vai acabar com o auxílio no dia 31 de dezembro. "Lula vai trazer de volta o auxílio emergencial e precisamos que vocês compartilhem essa informação", afirmou.

"Enquanto você não acabar com a miséria nesse país, não tem como acabar com o auxílio emergencial", afirmou Lula.

Questionado sobre esse tema logo após a ​live de Lula, Bolsonaro disse que a fala "é mentira". Segundo ele, vão ser mantidos os R$ 600 de auxílio no ano que vem.

A transmissão de Lula e Janones foi reproduzida nas páginas do Facebook de ambos e também no canal do Youtube do ex-presidente. Ao menos 50 mil pessoas assistiram ao vivo. O vídeo alcançou cerca de 20 mil compartilhamentos, minutos depois do encerramento da transmissão.

Janones era pré-candidato à Presidência, mas desistiu da disputa para apoiar Lula.

O governo federal liberou a última parcela do Auxílio Brasil no valor de R$ 400 em julho. A partir de agosto, o governo federal ampliou o benefício para R$ 600, que será pago de forma temporária até dezembro.

Segundo Lula, a única forma de o auxílio continuar é ele ganhando as eleições, o que Bolsonaro nega. "Não tem explicação para um país como o Brasil as pessoas passarem fome", afirmou o petista. "É preciso um conjunto de políticas públicas para que a economia volte a funcionar."

O candidato à Presidência também pediu para que as pessoas que tiverem direito ao auxílio que não deixem de recebê-lo. "Se cair um dinheirinho na sua conta você pegue e compre o que comer para os seus filhos", afirmou.

Em sua fala, Lula também criticou o programa do atual governo. "É um fundo que foi criado com o objetivo eleitoral, porque o Bolsonaro poderia ter criado isso seis meses atrás, um ano atrás, mas ele deixou para criar perto das eleições que é para poder garantir uma ajuda na campanha", afirmou.

O extinto programa Bolsa Família, criado pelo governo petista, também foi lembrado na fala de Lula. Ele afirmou que o programa não era só para distribuir dinheiro, mas cuidar das pessoas. "É para isso que a gente disputa as eleições, não é para governar é para cuidar do povo", afirmou.

O presidenciável também citou o Dia dos Pais e disse que "é muito triste saber que milhões de pais neste país vão estar com seus filhos e possivelmente muitos não terão o feijão e água para colocar no fogo".

4 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

  • Alex
    13/08/2022
    Kkkkkkkkk. Foi uma surra sem fim. Kkkkkkkkkk
  • Rogério
    13/08/2022
    kkk...Pouco antes de acabar a live, estavam vendo a live do Bolsonaro 400 mil pessoas e apenas 16 mil vendo a live do LuLa...O LuLa não cansa de apanhar...
  • 13/08/2022
    50.000! Noosssaaa! É quase 10% do que conseguiu o Presidente Bolsonaro.
  • Carboni
    13/08/2022
    Live do Lula ,10,000 assistindo , só Bolsonaro , 450,000,, confie nas pesquisas e não nos fatos