ELEIÇÕES 2022

ELEIÇÕES 2022

Em encontro com setor coureiro, Haddad sela compromisso contra guerra fiscal

Em encontro com setor coureiro, Haddad sela compromisso contra guerra fiscal

Acompanhado do vice de Lula, Geraldo Alckmin (PSB), o candidato do PT ao governo do Estado disse também em Franca que vai baixar impostos e impulsionar indústrias paulistas.

Acompanhado do vice de Lula, Geraldo Alckmin (PSB), o candidato do PT ao governo do Estado disse também em Franca que vai baixar impostos e impulsionar indústrias paulistas.

Por Higor Goulart | 16/09/2022 | Tempo de leitura: 2 min
da Redação

Por Higor Goulart
da Redação

16/09/2022 - Tempo de leitura: 2 min

Diogo Zacarias/Assessoria PT

Haddad e Alckmin no encontro com empresários do setor coureiro nesta sexta-feira, 16

O candidato ao governo de São Paulo Fernando Haddad (PT), acompanhado do candidato a vice-presidente de Lula, Geraldo Alckmin (PSB), prometeu um comportamento mais agressivo contra a guerra fiscal e prometeu retomar a força industrial calçadista no Estado. A fala foi dada em encontro com representantes do setor coureiro, nesta sexta-feira, 16, em Franca.

No encontro, os empresários trataram sobre a guerra fiscal que o setor vive em São Paulo com Minas Gerais e Ceará, principalmente. De acordo com os empresários, os incentivos fiscais nestes estados prejudicam as empresas francanas e fazem com que elas migrem para outras cidades.

Ao ouvir esses problemas, Haddad garantiu que lutará para evitar a desindustrialização, prometendo reduções do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) no Estado. “Nós não vamos aceitar passivamente a guerra fiscal contra São Paulo. Vou baixar o ICMS de 18% para 12%, de 12% para 7%”, prometeu Haddad.

Com as reduções, o candidato petista espera ter 25% das indústrias calçadistas do Brasil em solo paulista. “Eu vou baixar até o ponto de ter no mínimo 25% da indústria aqui. Vou baixar para triplicar os empregos em Franca. Nós (paulistas) somos 25% do Brasil, então não vou produzir menos que isso. É justo que outros estados se beneficiem, mas não a ponto de desindustrializar São Paulo.”

Atualmente, a alíquota sobre o calçado é de 18% em São Paulo. De acordo com Haddad, essa porcentagem contribuiu para que Franca perdesse mais de 32% das suas empresas calçadistas. “Nós chegamos a produzir 40% dos calçados do Brasil aqui. Hoje, produzimos menos de 8%. São Paulo está assistindo de braços cruzados a guerra fiscal. E, se nada for feito, nós vamos perder isso”.

As garantias de Haddad agradaram os empresários presentes, que consideraram o encontro bem positivo. “O Haddad assumiu o compromisso publicamente de que vai enfrentar a guerra fiscal. Então, considero que esse encontro foi muito bom. O empresário fez a parte dele. Agora, a gente espera que o governo faça também a sua parte”.

Além de Haddad e Alckmin, o candidato ao Senado Márcio França (PSB), além de outros candidatos aos legislativos estadual e federal, acompanharam a reunião.

Haddad, Alckmin e França deixaram Franca por volta das 16 horas. A agenda previa compromisso em Ribeirão Preto na sequência, mas foi desmarcado. O destino da comitiva foi São Paulo, onde Márcio França tem um encontro com apoiadores ainda nesta sexta-feira.

O candidato ao governo de São Paulo Fernando Haddad (PT), acompanhado do candidato a vice-presidente de Lula, Geraldo Alckmin (PSB), prometeu um comportamento mais agressivo contra a guerra fiscal e prometeu retomar a força industrial calçadista no Estado. A fala foi dada em encontro com representantes do setor coureiro, nesta sexta-feira, 16, em Franca.

No encontro, os empresários trataram sobre a guerra fiscal que o setor vive em São Paulo com Minas Gerais e Ceará, principalmente. De acordo com os empresários, os incentivos fiscais nestes estados prejudicam as empresas francanas e fazem com que elas migrem para outras cidades.

Ao ouvir esses problemas, Haddad garantiu que lutará para evitar a desindustrialização, prometendo reduções do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) no Estado. “Nós não vamos aceitar passivamente a guerra fiscal contra São Paulo. Vou baixar o ICMS de 18% para 12%, de 12% para 7%”, prometeu Haddad.

Com as reduções, o candidato petista espera ter 25% das indústrias calçadistas do Brasil em solo paulista. “Eu vou baixar até o ponto de ter no mínimo 25% da indústria aqui. Vou baixar para triplicar os empregos em Franca. Nós (paulistas) somos 25% do Brasil, então não vou produzir menos que isso. É justo que outros estados se beneficiem, mas não a ponto de desindustrializar São Paulo.”

Atualmente, a alíquota sobre o calçado é de 18% em São Paulo. De acordo com Haddad, essa porcentagem contribuiu para que Franca perdesse mais de 32% das suas empresas calçadistas. “Nós chegamos a produzir 40% dos calçados do Brasil aqui. Hoje, produzimos menos de 8%. São Paulo está assistindo de braços cruzados a guerra fiscal. E, se nada for feito, nós vamos perder isso”.

As garantias de Haddad agradaram os empresários presentes, que consideraram o encontro bem positivo. “O Haddad assumiu o compromisso publicamente de que vai enfrentar a guerra fiscal. Então, considero que esse encontro foi muito bom. O empresário fez a parte dele. Agora, a gente espera que o governo faça também a sua parte”.

Além de Haddad e Alckmin, o candidato ao Senado Márcio França (PSB), além de outros candidatos aos legislativos estadual e federal, acompanharam a reunião.

Haddad, Alckmin e França deixaram Franca por volta das 16 horas. A agenda previa compromisso em Ribeirão Preto na sequência, mas foi desmarcado. O destino da comitiva foi São Paulo, onde Márcio França tem um encontro com apoiadores ainda nesta sexta-feira.

16 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

  • MAURICIO FICO
    16/09/2022
    agora acharo o caminho de franca,sairo visitando e prometendo o que não vao fazer de jeito nenhum,infeliz daquele que acredita em politico que so se ve de quatro em quatro anos.apesar de que esses dois ai é carta fora do baralho.
  • Tucanisio
    16/09/2022
    Enquanto isso o bolsonarista Tarcísio que ninguém sabe de onde veio ,estão se engalfinhando para saber quem vai ao segundo turno da eleição pra levar uma surra do Fernando
  • PASCHOAL DONADELI NETO
    16/09/2022
    Que que essas carniças vieram fazer em Franca , chuta esses estrumes pra lá!! Xô Carniças !!
  • Marcos souza
    16/09/2022
    Para o brasil voltar a ser um país de verdade, livre de canalhice e corrupção, eu voto 13
  • Elzo Luiz Foroni de Araújo
    16/09/2022
    Jornaleco de merda
  • Luan
    16/09/2022
    kkkkkkkkk PIOR PREFEITO DE SP, tem gente que acredita nestes PILANTRAS????
  • Paulo fernando
    17/09/2022
    É sr.Geraldo Alckimin, o sr quando governador, nao sabia desta guerra fiscal!!! Agora vem aqui com esta CARA DE PAU!! E pior aliado destes BANDIDOS TOMEM VERGONHA NA CARA! PILANTRAS!!
  • Valentim estação
    17/09/2022
    Nossa que bando de canalhas, ladrão vagabundo...que lixo virou esse restaurante
  • Luiz carlos
    17/09/2022
    Ué... Se Alkimin que estava ao lado fez o que? Nós anos que foi governo. Não viu isso? Agora com o leite derramado vem pedir votos?
  • soyers
    17/09/2022
    Como podem acreditar nesses sujeitos. Um foi prefeito de SP e nada fez, o outro governador do estado por tantos anos e nunca ajudou a cidade e nem o estado nessa guerra fiscal, agora num passe de mágica o picolé de chuchu vai realizar o milagre da finança paulista. So idiota para acreditar neles...
  • Djalma
    17/09/2022
    Só se os empresários forem muito idiotas, completos imbecis para acreditar nas promessas de campanha dessa marionete do carniça junto com o \"santo\" da odebrech, que desde sempre desprezou Franca e região. Queria até pedagiar a rodovia Portinari até Cristais Paulista, só não conseguiu porque os francanos se revoltaram contra ele. E agora vem pedir votos com essas falsas promessas???? É pacabá... Cinismo total. #PTNUNCAMAIS
  • Luciano Henrique Pimenta
    17/09/2022
    Com o Presidente Lula novamente pra governar para todos e Fernando Haddad Governador de São Paulo teremos sim um governo que respeita as pessoas e sabem o que é democracia.
  • PROFESSOR
    17/09/2022
    NÃO É EXCELENTE MAS DÁ DE 10 A 0 EM TARCISIO E RODRIGO. BORA DE HADDAD, PROFESSOR , CULTO E BOM CARÁTER.
  • jose fernando
    17/09/2022
    Está historinha de Haddad Geraldo só balela com abaixar impostos estes petistas malandro nunca vieram a franca agora fazendo graças vão procurar outro canto para mentir......tudo safado principalmente este Alckmin
  • Nilson Ribeiro
    17/09/2022
    Dois vagabundo um poste outro mentiroso
  • Fechado com o Mito
    18/09/2022
    Por que votaríamos em um professor da USP, com doutorado e experiência em ministérios, mas que só tem um apartamento, se podemos votar em um candidato que é amigo do Mito e poderá nos ensinar a comprar 107 imóveis com dinheiro vivo? Por mais dinheiro circulando na praça e pessoas armadas na rua, é Tarcísio e Bolsonaro 2023!!