SAÚDE

SAÚDE

Após endometriose, Larissa Manoela descobre que tem ovário policístico

Após endometriose, Larissa Manoela descobre que tem ovário policístico

A atriz Larissa Manoela comentou nas redes sociais que acabou de receber um diagnóstico de ovário policístico e confessou que ficou abalada com a notícia.

A atriz Larissa Manoela comentou nas redes sociais que acabou de receber um diagnóstico de ovário policístico e confessou que ficou abalada com a notícia.

4 dias atrás | Tempo de leitura: 1 min
da Folhapress

da Folhapress

4 dias atrás - Tempo de leitura: 1 min

Reprodução/Instagram

Larissa Manoela, 21, usou as redes sociais nesta terça-feira (20) para desabafar sobre sua saúde

Larissa Manoela, 21, usou as redes sociais nesta terça-feira (20) para desabafar sobre sua saúde. A atriz comentou que acabou de receber um diagnóstico de ovário policístico e confessou que ficou abalada com a notícia.

"Ontem [segunda-feira (19)], através de um ultrassom detalhado, eu descobri que, além de endometriose, eu tenho também ovário policístico", relatou. "Não é fácil ser mulher."

"O diagnóstico positivo assusta e confesso que dá uma desestabilizada", continuou. "Mas estou certa de que vou encontrar o melhor tratamento para ambas as doenças!"

A síndrome do ovário policístico se caracteriza pelo aumento da produção de hormônios andrógenos (testosterona, principalmente). Relativamente comum, ela tem como principais sintomas a acne, o ganho de peso, o aumento da quantidade de pelos e a infertilidade.

No ano passado, a atriz já havia revelado que recebeu diagnóstico de endometriose. "Desde o meu primeiro ciclo, tinha um fluxo muito intenso, ficava muito indisposta, sentia dores a ponto de desmaiar", compartilhou. "Quando fui fazer exames e acompanhamentos anuais, recebi o diagnóstico."

Ela ainda pediu às fãs que procurem um médico se acharem que estão com algo parecido. "O mais importante de eu ter compartilhado e aberto algo tão pessoal da minha vida, foi saber que eu posso inspirar outras mulheres a também fazerem uma pesquisa profunda e salvar e dar qualidade de vida para essas mulheres", afirmou.

Neste ano, a cantora Anitta fez uma cirurgia para tratar a endometriose. A doença crônica pode afetar mulheres em idade reprodutiva e é caracterizada por fortes cólicas menstruais, dor pélvica, incômodo na relação sexual, alterações intestinais ou ao evacuar, dor na região lombar e coxas e dificuldade para engravidar entre outros sintomas.

Larissa Manoela, 21, usou as redes sociais nesta terça-feira (20) para desabafar sobre sua saúde. A atriz comentou que acabou de receber um diagnóstico de ovário policístico e confessou que ficou abalada com a notícia.

"Ontem [segunda-feira (19)], através de um ultrassom detalhado, eu descobri que, além de endometriose, eu tenho também ovário policístico", relatou. "Não é fácil ser mulher."

"O diagnóstico positivo assusta e confesso que dá uma desestabilizada", continuou. "Mas estou certa de que vou encontrar o melhor tratamento para ambas as doenças!"

A síndrome do ovário policístico se caracteriza pelo aumento da produção de hormônios andrógenos (testosterona, principalmente). Relativamente comum, ela tem como principais sintomas a acne, o ganho de peso, o aumento da quantidade de pelos e a infertilidade.

No ano passado, a atriz já havia revelado que recebeu diagnóstico de endometriose. "Desde o meu primeiro ciclo, tinha um fluxo muito intenso, ficava muito indisposta, sentia dores a ponto de desmaiar", compartilhou. "Quando fui fazer exames e acompanhamentos anuais, recebi o diagnóstico."

Ela ainda pediu às fãs que procurem um médico se acharem que estão com algo parecido. "O mais importante de eu ter compartilhado e aberto algo tão pessoal da minha vida, foi saber que eu posso inspirar outras mulheres a também fazerem uma pesquisa profunda e salvar e dar qualidade de vida para essas mulheres", afirmou.

Neste ano, a cantora Anitta fez uma cirurgia para tratar a endometriose. A doença crônica pode afetar mulheres em idade reprodutiva e é caracterizada por fortes cólicas menstruais, dor pélvica, incômodo na relação sexual, alterações intestinais ou ao evacuar, dor na região lombar e coxas e dificuldade para engravidar entre outros sintomas.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.