COPA-2022

COPA-2022

Brasil enfrenta Gana com 'super ataque' e Militão

Brasil enfrenta Gana com 'super ataque' e Militão

A seleção brasileira enfrentará Gana, nesta sexta-feira (23), às 15h30 (horário de Brasília), com o 'superataque' testado por Tite ao longo da semana.

A seleção brasileira enfrentará Gana, nesta sexta-feira (23), às 15h30 (horário de Brasília), com o 'superataque' testado por Tite ao longo da semana.

Por Thiago Arantes | 2 dias atrás | Tempo de leitura: 2 min
Da Folhapress

Por Thiago Arantes
Da Folhapress

2 dias atrás - Tempo de leitura: 2 min

Lucas Figueiredo/CBF

Brasil enfrenta Gana com 'super ataque' e Militão

A seleção brasileira enfrentará Gana, nesta sexta-feira (23), às 15h30 (horário de Brasília), com o "superataque" testado por Tite ao longo da semana. No último treinamento antes do amistoso, em Le Havre (França), o treinador manteve o time com Éder Militão deslocado para a lateral-direita, Casemiro como único volante, e Neymar como meia.

Assim, a seleção deve começar jogando com Alisson; Militão, Marquinhos, Thiago Silva e Alex Telles; Casemiro; Paquetá e Neymar; Raphinha, Richarlison e Vini Jr. É a primeira vez que esta formação começará uma partida, a menos de dois meses da Copa do Mundo do Qatar, que começa em 20 de novembro -o Brasil estreia contra a Sérvia, no dia 24.

Perguntado sobre o que testar diante de Gana, Tite foi direto: "Equilíbrio".

Na prática, a nova escalação significa testes nos três setores do time. O primeiro é na defesa: com Militão na lateral Tite abre a possibilidade de convocar apenas três jogadores da posição para o Mundial, usando um zagueiro improvisado caso seja necessário - ite não gosta do termo "improvisação", alega que o defensor é versátil e atuou de lateral ao longo da carreira. A mudança pode significar um movimento no sentido de não levar Daniel Alves, que ficou fora da lista para os amistosos contra Gana e Tunísia.

Com Militão, Tite ganha também uma variação na saída de bola. Quando tem a posse na defesa, o time fica com uma linha três, com Militão, Thiago Silva e Marquinhos, e o lateral-esquerdo Alex Telles se desloca para o meio-campo, para ajudar Casemiro a fazer a ligação com o ataque.

No meio-campo, a principal novidade é a presença de apenas Casemiro como volante defensivo. O segundo homem do setor será Lucas Paquetá, jogando mais recuado que costumava atuar no Lyon e que joga atualmente no West Ham. Neymar completa o setor, atuando como um camisa 10, por trás da linha de atacantes.

"O Paquetá é um segundo meio-campista que te traz um senso de criatividade, mas te traz ao mesmo tempo um lateral-direito que te dá um equilíbrio defensivo. Então é criação e gol nosso objetivo, mas é ter ao mesmo tempo consistência. Nesse equilíbrio uma equipe está mais próxima de vencer", disse o técnico da seleção.

A nova formação tem como objetivo, ainda segundo Tite, potencializar o trabalho dos pontas de velocidade -Vini Jr pela esquerda e Raphinha pela direita. Richarlison, o centroavante, foi testado em muitos momentos numa posição em que jogava de costas para o gol, tabelando com Neymar e Paquetá, que chegavam desde o meio-campo. Nessas situações, o Brasil com a bola atacava com os cinco jogadores.

A seleção da Gana, por sua vez, comandada por Otto Addo, deve ir a campo inicialmente com: Ofori; Daniel Amartey, Djiku e Mohammed Salisu; Lamptey, Thomas Partey, Iddrisu Baba e Abdul Baba; Jordan Ayew, Kudus e Sulemana.

Estádio: Océane, em Le Havre (França)

Horário: Às 15h30 (de Brasília) desta sexta-feira (23)

Árbitro: Mikäel Lesage (França)

Transmissão: Globo e SporTV

A seleção brasileira enfrentará Gana, nesta sexta-feira (23), às 15h30 (horário de Brasília), com o "superataque" testado por Tite ao longo da semana. No último treinamento antes do amistoso, em Le Havre (França), o treinador manteve o time com Éder Militão deslocado para a lateral-direita, Casemiro como único volante, e Neymar como meia.

Assim, a seleção deve começar jogando com Alisson; Militão, Marquinhos, Thiago Silva e Alex Telles; Casemiro; Paquetá e Neymar; Raphinha, Richarlison e Vini Jr. É a primeira vez que esta formação começará uma partida, a menos de dois meses da Copa do Mundo do Qatar, que começa em 20 de novembro -o Brasil estreia contra a Sérvia, no dia 24.

Perguntado sobre o que testar diante de Gana, Tite foi direto: "Equilíbrio".

Na prática, a nova escalação significa testes nos três setores do time. O primeiro é na defesa: com Militão na lateral Tite abre a possibilidade de convocar apenas três jogadores da posição para o Mundial, usando um zagueiro improvisado caso seja necessário - ite não gosta do termo "improvisação", alega que o defensor é versátil e atuou de lateral ao longo da carreira. A mudança pode significar um movimento no sentido de não levar Daniel Alves, que ficou fora da lista para os amistosos contra Gana e Tunísia.

Com Militão, Tite ganha também uma variação na saída de bola. Quando tem a posse na defesa, o time fica com uma linha três, com Militão, Thiago Silva e Marquinhos, e o lateral-esquerdo Alex Telles se desloca para o meio-campo, para ajudar Casemiro a fazer a ligação com o ataque.

No meio-campo, a principal novidade é a presença de apenas Casemiro como volante defensivo. O segundo homem do setor será Lucas Paquetá, jogando mais recuado que costumava atuar no Lyon e que joga atualmente no West Ham. Neymar completa o setor, atuando como um camisa 10, por trás da linha de atacantes.

"O Paquetá é um segundo meio-campista que te traz um senso de criatividade, mas te traz ao mesmo tempo um lateral-direito que te dá um equilíbrio defensivo. Então é criação e gol nosso objetivo, mas é ter ao mesmo tempo consistência. Nesse equilíbrio uma equipe está mais próxima de vencer", disse o técnico da seleção.

A nova formação tem como objetivo, ainda segundo Tite, potencializar o trabalho dos pontas de velocidade -Vini Jr pela esquerda e Raphinha pela direita. Richarlison, o centroavante, foi testado em muitos momentos numa posição em que jogava de costas para o gol, tabelando com Neymar e Paquetá, que chegavam desde o meio-campo. Nessas situações, o Brasil com a bola atacava com os cinco jogadores.

A seleção da Gana, por sua vez, comandada por Otto Addo, deve ir a campo inicialmente com: Ofori; Daniel Amartey, Djiku e Mohammed Salisu; Lamptey, Thomas Partey, Iddrisu Baba e Abdul Baba; Jordan Ayew, Kudus e Sulemana.

Estádio: Océane, em Le Havre (França)

Horário: Às 15h30 (de Brasília) desta sexta-feira (23)

Árbitro: Mikäel Lesage (França)

Transmissão: Globo e SporTV

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.