SAÚDE

SAÚDE

Mutirão pouco impacta e fila à espera de cirurgias eletivas em Franca é 4ª maior de SP

Mutirão pouco impacta e fila à espera de cirurgias eletivas em Franca é 4ª maior de SP

Houve redução na espera por cirurgias eletivas no Estado, mas a região de Franca continua com número elevado de pacientes na fila, acima, por exemplo, de Ribeirão Preto.

Houve redução na espera por cirurgias eletivas no Estado, mas a região de Franca continua com número elevado de pacientes na fila, acima, por exemplo, de Ribeirão Preto.

Por Hevertom Talles | 2 dias atrás | Tempo de leitura: 2 min
da Redação

Por Hevertom Talles
da Redação

2 dias atrás - Tempo de leitura: 2 min

Arquivo/GCN

Ambulatório Médico de Especialidades (AME): um dos locais onde são realizadas cirurgias eletivas em Franca

O Governo de SP planeja neste sábado, 24, mais uma ação de mutirão para diminuir a fila na espera por cirurgias eletivas. A previsão é que aconteçam 6,7 mil procedimentos extras como operatórios, exames e cirurgias.

A região de Franca atualmente segue com 39.515 pessoas aguardando serem chamadas para as suas cirurgias, e ocupa a quarta posição da tabela em relação ao total de pessoas em espera. Apenas três regiões possuem mais pacientes aguardando: Sorocaba, Campinas e Marília.

A região de Franca teve uma redução de 12.946 pessoas na fila de espera, mas ainda segue com a fila grande se comparado com às demais regiões paulistas. Piracicaba, por exemplo, tem 18.692 pessoas à espera; a Baixada Santista, 4.987; Ribeirão Preto, 12.693; e Bauru, 16.816.

O mutirão de cirurgias do Governo de SP segue planejando ações para reduzir a fila de demandas por cirurgias eletivas. Por conta da pandemia, o Estado afirma que a Central de Regulação do Estado (Cross) estava com uma fila acumulada de solicitações pelos munícipios do Estado.

Com o avanço das ações, a fila por cirurgias eletivas, que tinha 538.160 pessoas aguardando na fila, tem atualmente 254.012. Entre os principais procedimentos realizados no mutirão estão cirurgias oftalmológicas, urológicas, vasculares, ginecológicas e gerais.

As cinco regiões que tiveram a maior redução da demanda reprimida são a Grande São Paulo (- 84,7%); Araçatuba (- 68,6%), Barretos (- 63,8%), Vale do Paraíba (- 61,8%) e Bauru (- 57%).

Com a parceria entre Estado e 16 empresas do setor privado, através de convênio, neste mês estão programadas cerca de 34 mil cirurgias, ao valor de duas tabelas SUS nas regiões de Araçatuba, Barretos, Campinas, Marília, Piracicaba, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e Vale do Paraíba. 

Aproximadamente 1,5 mil profissionais de saúde estarão envolvidos na ação especial que vai ajudar a acelerar a fila do mutirão.

O mutirão de cirurgias começou em meados de junho com o pagamento de 100% extra da tabela SUS do Ministério da Saúde para todos os serviços públicos de saúde. Segundo a pasta Estadual, foi feita a ampliação da oferta em todas as suas unidades de administração direta e a aquisição de procedimentos na rede privada.

Confira o andamento do Mutirão de Cirurgias em todos os Departamentos Regionais de Saúde:


O Governo de SP planeja neste sábado, 24, mais uma ação de mutirão para diminuir a fila na espera por cirurgias eletivas. A previsão é que aconteçam 6,7 mil procedimentos extras como operatórios, exames e cirurgias.

A região de Franca atualmente segue com 39.515 pessoas aguardando serem chamadas para as suas cirurgias, e ocupa a quarta posição da tabela em relação ao total de pessoas em espera. Apenas três regiões possuem mais pacientes aguardando: Sorocaba, Campinas e Marília.

A região de Franca teve uma redução de 12.946 pessoas na fila de espera, mas ainda segue com a fila grande se comparado com às demais regiões paulistas. Piracicaba, por exemplo, tem 18.692 pessoas à espera; a Baixada Santista, 4.987; Ribeirão Preto, 12.693; e Bauru, 16.816.

O mutirão de cirurgias do Governo de SP segue planejando ações para reduzir a fila de demandas por cirurgias eletivas. Por conta da pandemia, o Estado afirma que a Central de Regulação do Estado (Cross) estava com uma fila acumulada de solicitações pelos munícipios do Estado.

Com o avanço das ações, a fila por cirurgias eletivas, que tinha 538.160 pessoas aguardando na fila, tem atualmente 254.012. Entre os principais procedimentos realizados no mutirão estão cirurgias oftalmológicas, urológicas, vasculares, ginecológicas e gerais.

As cinco regiões que tiveram a maior redução da demanda reprimida são a Grande São Paulo (- 84,7%); Araçatuba (- 68,6%), Barretos (- 63,8%), Vale do Paraíba (- 61,8%) e Bauru (- 57%).

Com a parceria entre Estado e 16 empresas do setor privado, através de convênio, neste mês estão programadas cerca de 34 mil cirurgias, ao valor de duas tabelas SUS nas regiões de Araçatuba, Barretos, Campinas, Marília, Piracicaba, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e Vale do Paraíba. 

Aproximadamente 1,5 mil profissionais de saúde estarão envolvidos na ação especial que vai ajudar a acelerar a fila do mutirão.

O mutirão de cirurgias começou em meados de junho com o pagamento de 100% extra da tabela SUS do Ministério da Saúde para todos os serviços públicos de saúde. Segundo a pasta Estadual, foi feita a ampliação da oferta em todas as suas unidades de administração direta e a aquisição de procedimentos na rede privada.

Confira o andamento do Mutirão de Cirurgias em todos os Departamentos Regionais de Saúde:


COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.